Meteorologia

  • 15 DEZEMBRO 2018
Tempo
15º
MIN 15º MÁX 16º

Edição

Rio já esclareceu com Santana comentário que "não vê como crítica"

O presidente do PSD disse hoje não ter entendido como uma crítica à direção social-democrata o recente comentário de Santana Lopes sobre falta de liderança, assumindo já ter esclarecido a questão com o seu adversário nas eleições diretas.

Rio já esclareceu com Santana comentário que "não vê como crítica"
Notícias ao Minuto

12:51 - 22/03/18 por Lusa

Política PSD

A propósito das declarações de Pedro Santana Lopes, que no seu novo espaço de comentário na SIC Notícias disse que o presidente do PSD, Rui Rio, ainda não tinha inaugurado a liderança do partido, o presidente social-democrata rejeitou hoje ter interpretado a frase como uma crítica.

"Aquilo que interpretei não foi exatamente assim. O que interpretei daquilo que penso que o doutor Santana Lopes disse é que deveriam dar oportunidade a que eu pudesse inaugurar - que eu já inaugurei, mas é a visão dele - a liderança do PSD. A crítica não era para a direção nacional, era para quem internamente está mais apostado em destruir do que ajudar a construir. Interpretei assim e, aliás, o próprio já teve oportunidade de me explicar que era essa a ideia que queria transmitir", revelou.

Questionado pelos jornalistas portugueses à entrada para a reunião do Partido Popular Europeu, em Bruxelas, sobre se o novo secretário-geral do PSD, José Silvano, estaria imune a polémicas, Rui Rio reconheceu que, hoje em dia, "da forma como a política está, ninguém está imune a polémicas".

"Aquela velha máxima de quem não deve não teme, eu penso que hoje mesmo quem não deve tem de temer. Esta é uma transformação negativa na sociedade portuguesa", acrescentou.

O presidente social-democrata considerou ainda que "massacres" como aquele de que foi alvo o antigo secretário-geral Feliciano Barreiras Duarte não são "bons para a democracia".

"Houve demasiada crueldade em face àquilo que são as falhas que lhe imputaram", finalizou.

Na segunda-feira, o deputado José Silvano foi indicado como o novo secretário-geral do PSD, depois de, no domingo, Feliciano Barreiras Duarte ter anunciado a sua demissão de "forma irrevogável" ao presidente do partido, após uma semana de notícias sobre irregularidades no seu currículo e uma alegada falsidade na morada que indicou no parlamento.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório