Meteorologia

  • 24 SETEMBRO 2018
Tempo
22º
MIN 22º MÁX 23º

Edição

Santanistas defendem "conversações" sobre novo secretário-geral do PSD

Os representantes de Santana Lopes no Conselho Nacional não receberam, até agora, qualquer contacto da direção do PSD sobre a escolha do futuro secretário-geral, defendendo que esse diálogo se justificaria, disse à Lusa fonte próxima do antigo primeiro-ministro.

Santanistas defendem "conversações" sobre novo secretário-geral do PSD
Notícias ao Minuto

16:21 - 19/03/18 por Lusa

Política PSD

"Tal como aconteceu no Congresso, em que houve um entendimento para todos os órgãos nacionais à exceção da Comissão Política com vista à unidade do partido, numa altura em que o PSD está a atravessar uma fase negativa justificar-se-iam novamente conversações desse tipo", defendeu a mesma fonte.

A lista conjunta ao Conselho Nacional do PSD de Rui Rio e Santana Lopes -- encabeçada pelo antigo primeiro-ministro e que tem como segundo nome Paulo Rangel - elegeu 34 em 70 membros, não tendo, ainda assim, maioria no órgão máximo do partido entre Congressos.

De acordo com os estatutos do PSD, compete ao Conselho Nacional "eleger o substituto de qualquer dos titulares da Mesa do Congresso e da Comissão Política Nacional, com exceção do seu Presidente, no caso de vacatura do cargo ou de impedimento prolongado, sob proposta do respetivo órgão".

Assim, o nome que for proposto pela Comissão Política Nacional para secretário-geral do PSD na sequência da demissão de Feliciano Barreiras Duarte terá depois de ser votado em Conselho Nacional.

Fontes da direção do PSD confirmaram hoje à Lusa que a próxima reunião da Comissão Política Nacional do PSD continua marcada para 28 de março e, se o calendário não for alterado, será proposto nessa data o nome do futuro secretário-geral.

Esta reunião já estava agendada antes de conhecida a demissão, no domingo, de Feliciano Barreiras Duarte do cargo de secretário-geral do partido.

Além da lista de Rio e Santana, concorreram mais sete listas ao Conselho Nacional, que elegeram os restantes 36 delegados.

São ainda membros do Conselho Nacional os membros da Mesa do Congresso, que constituem também a Mesa do Conselho Nacional, dez representantes da JSD, cinco representantes dos Trabalhadores Sociais-Democratas e cinco representantes dos Autarcas Sociais-Democratas, bem como os presidentes das Comissões Políticas Distritais e dois representantes de cada Comissão Política Regional.

Têm também assento neste órgão representantes de cada círculo eleitoral da Emigração, os antigos presidentes do partido e os militantes que tenham desempenhado os cargos de presidentes da Assembleia da República, primeiro-ministro e presidente dos Governos das Regiões Autónomas dos Açores e da Madeira.

Sem direito de voto, participam no Conselho Nacional os membros da Comissão Política Nacional, do Conselho de Jurisdição Nacional, e da direção do Grupo Parlamentar, bem como os restantes militantes com direito a participar nos Congressos do partido.

Feliciano Barreiras Duarte anunciou no domingo, em comunicado, que apresentou a sua demissão de "forma irrevogável" ao presidente do partido, Rui Rio, depois de uma semana de notícias sobre irregularidades no seu currículo e uma alegada falsidade na morada que indicou no parlamento, considerando que os "ataques" de que estava a ser alvo o prejudicaram gravemente e à sua família, bem como a direção do PSD.

Esta é a primeira baixa na direção do novo presidente do PSD, Rui Rio, e acontece exatamente um mês depois do Congresso do partido, que se realizou entre 16 e 18 de fevereiro.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório