Meteorologia

  • 22 SETEMBRO 2018
Tempo
32º
MIN 30º MÁX 34º

Edição

Aprovada audição urgente de Santos Silva no parlamento sobre ciberataques

Os deputados da comissão parlamentar de Negócios Estrangeiros aprovaram hoje um pedido do CDS-PP para audição urgente, à porta fechada, a propósito de declarações "surpreendentes e muito preocupantes" do ministro dos Negócios Estrangeiros sobre ciberataques a Portugal.

Aprovada audição urgente de Santos Silva no parlamento sobre ciberataques
Notícias ao Minuto

18:34 - 13/03/18 por Lusa

Política MNE

O deputado centrista Filipe Lobo d'Ávila disse à Lusa que o requerimento foi aprovado pelo PS, PSD e CDS, tendo o PCP e o Bloco de Esquerda estado ausentes da votação, hoje na reunião da comissão parlamentar de Negócios Estrangeiros e Comunidades Portuguesas.

O pedido de audição surge na sequência de declarações de Augusto Santos Silva, numa audição nesta comissão sobre a base das Lajes, nos Açores, a 28 de fevereiro.

Na ocasião, o chefe da diplomacia portuguesa afirmou existir "uma campanha geopolítica, geoestratégica de uso sistemático de desinformação em ataques de que o nosso país e a aliança democrática e militar a que pertencemos [NATO] é alvo" e que só é possível contrariar "com a verdade dos factos".

"Sobre esta dimensão, só posso falar indiretamente, mas se a comissão quiser ouvir-me à porta fechada, eu posso dizer coisas que não posso dizer à porta aberta", disse Santos Silva.

No requerimento, o CDS-PP afirma compreender "a reserva manifestada pelo próprio ministro em abordar o assunto à porta aberta", pelo que "solicita a presença urgente do ministro dos Negócios Estrangeiros na Comissão para realização de audição à porta fechada".

À Lusa, Lobo d'Ávila considerou que estas declarações de Santos Silva são "surpreendentes e muito preocupantes", recordando que a NATO já relatou ser alvo de cerca de 500 ataques por mês, um aumento de 60% face a 2015.

No requerimento, o CDS lembrava que as informações transmitidas pelo ministro dos Negócios Estrangeiros aos parlamentares "coincidem com a publicação do relatório da agência europeia para a segurança das redes e da informação, que analisa as vulnerabilidades e as repercussões dos ataques 'ciber' observados nos Estados europeus e em relação aos quais o Estado português não é obviamente exceção".

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório