Meteorologia

  • 25 SETEMBRO 2018
Tempo
30º
MIN 27º MÁX 32º

Edição

Socialistas: Do discurso que "enterra o estilo de Passos" a Elina Fraga

No rescaldo do Congresso dos social-democratas, alguns socialistas comentaram o que se passou no Centro de Congressos de Lisboa.

Socialistas: Do discurso que "enterra o estilo de Passos" a Elina Fraga
Notícias ao Minuto

08:05 - 19/02/18 por Inês André de Figueiredo 

Política Congresso PSD

O 37.º Congresso Nacional do PSD realizou-se este fim de semana, em Lisboa, e mereceu a atenção de diversos membros da oposição, principalmente a passagem de testemunho entre Passos Coelho e Rui Rio.

Além da comitiva que representou o PS no Centro de Congressos de Lisboa, composta por Ana Catarina Mendes, Marcos Perestrelo e José Manuel Mesquita, alguns socialistas não quiseram deixar de veicular a sua opinião através das redes sociais.

Foi o caso de Porfírio Silva, que teceu algumas considerações sobre o discurso final de Rui Rio, este domingo. “Independentemente das opções políticas concretas enunciadas, o discurso de Rui Rio enterra o estilo de Passos Coelho”, começa por dizer o socialista.

Recordando que Rio citou “uma vez Sá Carneiro, mas duas vezes um ex-líder do alemão SPD (Helmut Schmidt)”, Porfírio Silva ressalvou que é visível uma mudança. “Fundamentalmente, [Rio] propõe ideias para o futuro, gostemos ou não dessas propostas, parecendo disposto a deixar cair a querela da suposta ilegitimidade da atual maioria e governo, entrando no debate das opções políticas futuras, coisa que Passos Coelho não foi capaz de fazer”, assegura.

Por outro lado, recorda ainda a abertura de “canteiros podem fazer convergências à Direita e à Esquerda (natalidade), colocando em evidência um dossier que interessa a António Costa e ao Governo (descentralização)”, refere o socialista, explicando que é aberto “um método de convergências com todos os partidos, aparentemente sem excluir a Esquerda da Esquerda”.

Já Isabel Moreira garante que “é impossível passar ao lado” da escolha de Elina Fraga para vice-presidente do PSD.

“É normal que em congressos se fale em respeito pelo passado, gratidão e unidade. É normal que isso não corresponda totalmente à verdade. É uma rutura brutal e sintomática escolher para a área da justiça quem levou mais longe a crítica à desastrosa política para a justiça do governo de Passos”, justifica a socialista.

Mas há mais. “Ao escolher Elina Fraga, Rui Rio dá razão a quem disse o que disse da política de justiça do governo de Passos”.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório