Meteorologia

  • 10 DEZEMBRO 2018
Tempo
13º
MIN 12º MÁX 14º

Edição

PCP quer "independência financeira" e prepara recrutamento de militantes

O secretário-geral do PCP afirmou hoje, no Porto, que é "indispensável" a "independência financeira" do partido, apontando como medidas o aumento das quotas e assegurar o respetivo pagamento, além do recrutamento de novos militantes.

PCP quer "independência financeira" e prepara recrutamento de militantes
Notícias ao Minuto

22:16 - 17/02/18 por Lusa

Política Jerónimo de Sousa

"Não podemos descansar nos passos positivos que têm sido dados no plano financeiro. Assegurar a independência financeira do partido é indispensável para garantir a sua independência política, orgânica e ideológica. No momento atual, é preciso continuar a tomar medidas para aumentar o valor das quotas e do número de camaradas com as quotas em dia", afirmou Jerónimo de Sousa.

Na sessão pública de encerramento da XII Assembleia de Organização Regional do Porto, o líder do Partido Comunista Português apontou a meta de "recrutar 400 novos militantes" neste distrito até ao próximo congresso, definindo como "tarefa para o imediato" angariar novos elementos, no âmbito da "emissão do novo cartão de membro do partido".

"É na base da iniciativa própria, da contribuição dos seus militantes, simpatizantes e amigos que importa assegurar os meios financeiros para suportar a ação e intervenção" do PCP, afirmou Jerónimo de Sousa, invocando a necessidade de o partido "fazer boa cara ao mau tempo" num processo de luta por "uma democracia avançada, inspirada nos valores de Abril, por um Portugal com futuro, pelo socialismo e o comunismo".

O secretário-geral comunista indicou que, para o PCP, o ano vigente "terá como elemento marcante a emissão do novo cartão de membro do partido", numa "tarefa para o imediato" com vista à "renovação do compromisso de militância". "Precisamos de recrutar novos militantes", afirmou.

De acordo com Jerónimo de Sousa, o "plano nacional" traçado nesta área pretende "realizar cinco mil contactos com trabalhadores até ao fim de 2018".

Quanto ao distrito do Porto, o objetivo é "recrutar 400 novos militantes", revelou.

Referindo-se a questões de política nacional, o secretário-geral do PCP defendeu um reforço do investimento público nos transportes, saúde e educação, criticando "uma política que tem sacrificado o investimento em nome do défice e que o PS mantêm" por estar "amarrado aos mesmos compromissos e constrangimentos políticos" do anterior governo do PSD/CDS.

Jerónimo de Sousa lamentou a "errada opção de canalizar todos os avultados excedentes primários orçamentais para a redução do peso da dívida, em prejuízo do investimento que era preciso reforçar".

O dirigente comunista anunciou que o PCP pretende apresentar propostas para a "reposição dos montantes e regras de cálculo nas compensações por cessação e despedimento" e "diuturnidades por cada ano completo de antiguidade, sem limite máximo de anos".

O PCP quer ainda propor um mínimo de "25 dias úteis de férias para todos os trabalhadores", revogar "os mecanismos de adaptabilidade individual e de outras formas de desregulação de horários".

A "reposição do princípio do tratamento mais favorável e a proibição da caducidade dos Contratos Coletivos de Trabalho por via da sua renovação sucessiva até à sua substituição por outro, livremente negociado entre as partes", é outra das pretensões do PCP.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório