Meteorologia

  • 18 JANEIRO 2021
Tempo
MIN 5º MÁX 14º

Edição

Ministro "não tem dimensão política" se não "substitui incompetentes"

O ex-candidato à Presidência da República apontou o dedo a Matos Fernandes.

Ministro "não tem dimensão política" se não "substitui incompetentes"

Paulo de Morais criticou o ministro do Ambiente, Pedro Matos Fernandes, na sua página de Facebook, acusando-o de, “no seu ainda curto mandato”, ser o “responsável (político) pelo desaparecimento de 85% do Pinhal de Leiria e pela maior poluição no Tejo de que há memória”.

“Apesar destas catástrofes, o ministro mantém intacta a hierarquia do Instituto de Conservação da Natureza e das Florestas - que, está visto, não sabe conservar a Natureza e as Florestas”, frisa o ex-candidato à Presidência da República, apontando o dedo aos responsáveis.

Paulo de Morais acusa o Governo de “não [mexer] também na Inspecção-Geral da Agricultura, do Mar, do Ambiente e do Ordenamento do Território - que, como também se constata, não sabe fiscalizar os níveis de poluição”.

“Se o ministro não tem coragem para substituir os incompetentes, então não tem dimensão política para ser ministro”, atira.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Quinto ano consecutivo Escolha do Consumidor para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório