Meteorologia

  • 20 JUNHO 2018
Tempo
18º
MIN 16º MÁX 22º

Edição

Bilhetes para o SLB? "Centeno devia ter visto o jogo pela televisão"

Na opinião de Joaquim Jorge, fundador do Clube dos Pensadores, o ministro Mário Centeno “pôs-se a jeito” no caso dos bilhetes para assistir a um jogo do Sport Lisboa e Benfica e que, em última instância, para evitar o caso, o ministro devia ter visto o jogo pela televisão.

Bilhetes para o SLB? "Centeno devia ter visto o jogo pela televisão"
Notícias ao Minuto

12:30 - 30/01/18 por Melissa Lopes

Política Joaquim Jorge

Joaquim Jorge, biólogo e fundador do Clube dos Pensadores, considera que o “pedido” de Mário Centeno para assistir a um jogo do Sport Lisboa e Benfica num lugar “recatado” saiu “caro” ao ministro das Finanças. “Saiu-lhe caro quanto à sua idoneidade e reputação”, concretiza.

Sustentando que tem do ministro Centeno “as melhores impressões”, Joaquim Jorge entende que “quanto mais alto estamos, mais cuidados devemos ter”, no sentido de evitar equívocos e situações ambíguas.

“Compreendo e acho que qualquer ministro tem o direito de ir ao futebol e pedir um lugar recatado para não ser incomodado, mas toda a gente sabe as ligações do mundo do futebol com o mundo da política”, constata.

Por esse motivo, considera que “esta imprudência mostrou ingenuidade” da parte do ministro. “A dignidade e seriedade de Centeno não está em causa, mas [o ministro] facilitou”, comenta o biólogo. Na sua opinião, os danos causados ao ministro “estão feitos”.

“É preciso clareza e transparência na conduta de um político. Não pode haver o mínimo de suspeição”, sustenta ainda. Para evitar o caso, Joaquim Jorge defende que “em última instância, o ministro deveria ter visto o jogo pela televisão”, sendo esse o “preço deste cargo público”.

O fundador do Clube dos Pensadores não considera que haja “algo criminal” no caso. O que há, opina, é uma “questão de ética”. Um ministro tem acesso a tudo e mais alguma coisa, mas o reverso da medalha é ter algumas restrições na sua vida privada”, remata.

O caso, recorde-se, originou buscas no gabinete do ministro das Finanças. Na origem da investigação estará a alegada solicitação do presidente do Benfica para conseguir ou apressar um pedido de isenção de IMI para a empresa do filho, isto na sequência de Mário Centeno ter pedido bilhetes para si e para o filho para assistirem a uma partida de futebol na bancada presidencial do Estádio da Luz. Perante a polémica, António Costa já saiu em defesa do seu ministro, garantindo que este não sairá do Governo, mesmo que seja constituído arguido. 

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório

Os cookies ajudam-nos a melhorar a sua experiência como utilizador.

Ao utilizar o nosso website, está a aceitar o uso de cookies e a concordar com a nossa política de utilização.