Meteorologia

  • 16 AGOSTO 2018
Tempo
17º
MIN 17º MÁX 18º

Edição

Na hora de dar os parabéns a Marcelo, é de afetos que se faz o balanço?

Na semana em que se assinala o segundo aniversário do mandato de Marcelo Rebelo de Sousa, figuras de todos os partidos com assento parlamentar escrutinaram aquela que tem sido a atuação do Presidente da República.

Na hora de dar os parabéns a Marcelo, é de afetos que se faz o balanço?
Notícias ao Minuto

08:40 - 22/01/18 por Patrícia Martins Carvalho 

Política Dois anos

Marcelo Rebelo de Sousa é o chefe máximo do país há dois anos. Apesar de ter vindo a ter um mandato marcado por afetos para com a população, em especial durante e após a tragédia dos incêndios, o Presidente não escapa às críticas dos partidos mais à Esquerda que não apreciam a sua conduta no que à opção pelo centro político diz respeito.

O líder parlamentar do Partido Socialista referiu, em declarações à agência Lusa, que o Presidente da República tem “contribuído muito significativamente para o reforço da proximidade entre política e cidadãos”, destacando ainda o “respeito que tem mantido pelo exercício das suas competências próprias e a não intrusão em competências alheias”.

"Sentimos que o Presidente da República tem um modo próprio de exercer o seu mandato, que essa sua proximidade é positiva e isso não implica que todos os outros agentes políticos procedam de igual modo ou tenham a mesma cultura de proximidade. O que é relevante é que seja feito de modo a que os portugueses sintam no Presidente um elo afetivo e uma ligação aos destinos do país", rematou.

Já Hugo Soares, líder parlamentar do PSD, destacou a forma como Marcelo “foi rápido e lesto a perceber qual era o sentimento do país” face às tragédias que atingiram os portugueses no ano passado, pautando-se por “uma atuação rápida e próxima para reparar ou minorar os danos, os prejuízos e as perdas daquelas populações”.

“É um Presidente absolutamente próximo das pessoas, que compreende como ninguém os anseios das portuguesas e dos portugueses, e que tem ido sempre ao encontro do que é uma mensagem positiva, de esperança e que o povo português precisa", concluiu.

Opinião semelhante tem o CDS que, pela voz de Telmo Correia, afirmou que "o Presidente da República talvez tenha compreendido como ninguém o sentimento do país nessa matéria [incêndios] e usar a sua capacidade pessoal de empatia para transmitir muito bem esse sentimento aos portugueses".

O líder parlamentar dos centristas disse ainda, à agência Lusa, que Marcelo tem exercido um “mandato exemplar”, razão pela qual é desejável uma “recandidatura” do atual Presidente.

Menos elogioso foi o líder do PCP, Jerónimo de Sousa, que enfatizou que, “mais do que características próprias de cada um, o que importa é que o Presidente da República paute a sua intervenção no respeito pelos princípios constitucionais que jurou cumprir e fazer cumprir, como o da separação de poderes e de exercício de competências próprias dos diferentes órgãos de soberania".

Nesta senda, também José Manuel Pureza, do Bloco de Esquerda, classificou a proximidade de Marcelo para com a população como uma consequência das “circunstâncias dramáticas” que atingiram o país, frisando que o Presidente é um “homem da imagem, portanto exerceu o seu mandato nessa perspetiva”.

O bloquista disse ainda que Marcelo é “um Presidente claramente apontado ao centro político e, numa altura em que o país precisa de maior ambição para que esta solução tenha prossecução no sentido de maior desenvolvimento dos serviços públicos e continuação do caminho da recuperação de rendimentos e direitos, tem um conjunto de posições que não nos permite acalentar uma antecipação de otimismo relativamente ao seu desempenho nesta matéria”.

A líder do partido ecologista Os Verdes fez sobressair, por seu turno,  que “cada pessoa tem o seu modo próprio de exercício dos cargos”.

“Marcelo Rebelo de Sousa tem a sua característica e sobre isso não me vou pronunciar. É, de facto, substancialmente diferente de outros, mas aquilo que se exige é o respeito em relação aos outros órgãos de soberania”, referiu Heloísa Apolónia, avaliando pela negativa “alguns casos de precipitação clara do Presidente”.

Por fim, o deputado do PAN, André Silva, elogiou Marcelo Rebelo de Sousa, considerando que tem tido um “mandato sereno, presente e atento” e frisando que tem conseguido “trazer um relacionamento com o Governo e com as outras instituições da dinâmica democrática sem crispação, tem trazido uma dinâmica de debate e relacionamento muito mais construtiva".

André Silva enalteceu ainda que o Presidente "tem contribuído também para o sucesso económico e para a melhoria das condições de vida das pessoas".

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório

Os cookies ajudam-nos a melhorar a sua experiência como utilizador.

Ao utilizar o nosso website, está a aceitar o uso de cookies e a concordar com a nossa política de utilização.