Meteorologia

  • 22 OUTUBRO 2018
Tempo
17º
MIN 16º MÁX 18º

Edição

CDS-PP pede esclarecimentos sobre novas tabelas da ADSE

O grupo parlamentar do CDS-PP questionou hoje o ministro da Saúde sobre as novas tabelas de preços da ADSE, pedindo esclarecimentos sobre se a decisão foi unilateral e garantias de que, "em circunstância alguma", os beneficiários serão prejudicados.

CDS-PP pede esclarecimentos sobre novas tabelas da ADSE
Notícias ao Minuto

19:11 - 16/01/18 por Lusa

Política Ministro da Saúde

No enquadramento da pergunta enviada ao ministro da Saúde, Adalberto Campos Fernandes, o grupo parlamentar recorda as declarações do presidente da ADSE, o subsistema de saúde para os funcionários públicos, que disse que as novas tabelas implicariam poupanças anuais de cerca de 30 milhões de euros para a ADSE e de 13 milhões de euros para os seus beneficiários.

"Aparentemente, estas seriam, de facto, boas notícias com ganhos, tanto para os beneficiários como para a própria ADSE. No entanto, chegou ao conhecimento do grupo parlamentar do CDS-PP que a revisão destas tabelas terá sido feita sem qualquer negociação prévia com as entidades prestadoras e que os novos valores poderão levar ao aumento, nalguns casos significativo, de encargos para os beneficiários", refere o texto dos centristas.

Para o CDS-PP "é urgente esclarecer em que termos foram, efetivamente, negociados os valores das novas tabelas da ADSE e se está, de facto, garantido que os beneficiários não terão de suportar mais encargos com a aplicação destes novos valores".

O grupo parlamentar do CDS-PP quer ainda saber a data exata de entrada em vigor das novas tabelas, sendo que o previsto é que isso aconteça a 01 de março.

O bastonário da Ordem dos Médicos classifica como "absolutamente escandalosos" os preços que a ADSE paga por alguns atos médicos, que muitas vezes não chegam sequer para as despesas do material usado em exames.

A Associação Portuguesa de Hospitalização Privada considera que as novas tabelas da ADSE representam "perdas incomportáveis" para os privados e podem pôr em causa o acesso dos beneficiários aos cuidados de saúde.

Segundo os jornais Expresso e Público, a Associação escreveu uma carta aos ministros das Finanças e da Saúde depois de aprovada a nova tabela da ADSE que deve entrar em vigor a 1 de março.

De acordo com a Associação, as tabelas reduzem o valor pago aos prestadores de serviços que têm convenção com o sistema e reforçam o controlo das despesas públicas.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório