Meteorologia

  • 26 SETEMBRO 2018
Tempo
22º
MIN 22º MÁX 23º

Edição

"Os restantes grupos partidários podem corrigir o tiro"

O CDS congratulou-se pelo veto do Presidente da República à lei do financiamento partidário. Nuno Magalhães afirma que a “sociedade revoltou-se” contra esta matéria e sugere que António Costa devia instruir o PS a votar contra esta lei.

"Os restantes grupos partidários podem corrigir o tiro"
Notícias ao Minuto

22:33 - 02/01/18 por Notícias Ao Minuto 

Política Nuno Magalhães

Marcelo Rebelo de Sousa vetou esta terça-feira a lei do financiamento dos partidos políticos. O CDS já reagiu e não escondeu a satisfação pela decisão do Presidente.

“É um veto compreensível e até exigível. Congratulamo-nos com este veto do Presidente da República”, começou por dizer Nuno Magalhães, líder parlamentar do CDS, que desafiou os restantes partidos a juntarem-se aos centristas e votarem contra esta lei.

“Os restantes grupos partidários podem corrigir o tiro e alterar o seu voto”, disse Nuno Magalhães, defendendo que essa alteração no sentido de voto deve ser feita em “nome da democracia, em nome da transparência”.

Nuno Magalhães destacou ainda que a “sociedade revoltou-se e bem contra esta matéria” e deixou uma sugestão a António Costa.

“Já que o primeiro-ministro não quer atuar na qualidade de primeiro-ministro, acho que na qualidade de secretário-geral do PS pode dar uma instrução ao seu grupo parlamentar para que o PS pudesse recuar e juntar-se ao CDS e votar contra esta lei”.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório