Meteorologia

  • 24 JANEIRO 2018
Tempo
MIN 6º MÁX 10º

Edição

PEV critica plano nacional para uso eficiente de água "fechado na gaveta"

A líder parlamentar do PEV, Heloísa Apolónia, defendeu hoje a necessidade de pensar sobre a seca "a médio e longo prazo", criticando que o plano nacional para o uso eficiente de água esteja "fechado numa gaveta".

PEV critica plano nacional para uso eficiente de água "fechado na gaveta"
Notícias ao Minuto

19:13 - 16/12/17 por Lusa

Política Heloísa Apolónia

"Existe um plano nacional para o uso eficiente de água. Esse plano nacional está fechado numa gaveta, não está implementado e se esse plano já tivesse sido implementado há uns anos, hoje nós já estávamos a recolher frutos", defendeu a deputada de Os Verdes no final do Conselho Nacional do partido ecologista que decorreu hoje no Porto.

A líder parlamentar do PEV destacou ainda a "questão pela qual os Verdes também se têm batido" e que se prende com a necessidade de que os rios portugueses "tenham água", razão pela qual, disse, a "revisão da Convenção de Albufeira é fundamental".

"A Convenção de Albufeira está desenhada para os interesses das hidroelétricas, não está desenhada para os interesses dos territórios, nem de Espanha nem de Portugal, nem está para os interesses das populações, nem de Espanha nem de Portugal, e nós não podemos continuar sem medições diárias dos nossos rios internacionais, porque isso é fundamental para garantir os caudais ecológicos nos nossos rios", frisou.

Defendeu também "uma agricultura focada na capacidade climatérica do país e, portanto, de mais adequada à poupança" e que "ao nível industrial e doméstico haja ações de poupança de água".

Para Heloísa Apolónia, "além de todas as medidas imediatas que são fundamentais, designadamente no apoio aos pequenos agricultores (...), há algumas questões que demonstram a razão dos Verdes em todos estes anos (...), que é a necessidade de pensar a longo prazo".

"Não é quando o mal nos bate à porta que vamos dizer que temos que fazer", sublinhou a deputada, alertando que Portugal não se pode dar "ao luxo" de, nas suas redes de abastecimento de água, ter uma perda nacional "na ordem dos 30%".

Sobre o Conselho Nacional do partido, Heloísa Apolónia realçou a importância da aprovação, pela Assembleia da República (AR), do Projeto de Resolução que "recomenda ao Governo a contagem de todo o tempo de serviço para efeito de descongelamento das carreiras".

Assumiu ainda a preocupação de Os Verdes relativamente à "determinação do Governo de aumento do preço dos transportes públicos em 2%".

"Os Verdes têm estado a trabalhar na AR para que (...) as famílias possam deduzir a totalidade do IVA que gastam com o passe social em sede de IRS, conseguimos repor, sem condição de recurso, o passe sub23 com um desconto de 25%, repor este ano o passe 4_18, sem condição de recurso, com um desconto de 25%, e aquilo que nós dizemos é que não se pode estar a dar com uma mão e a tirar com a outra", criticou.

Questionada sobre a que subida do 'rating' português pela agência de notação financeira Fitch, respondeu que "Os Verdes nunca mediram a situação do país por aquilo que essas agências de 'rating' dizem".

"As boas novidades para o país decorrem daquilo que, de facto, interfere diretamente na vida dos cidadãos", assinalou.

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório