Meteorologia

  • 25 JULHO 2017
Tempo
21º
MIN 18º MÁX 23º

Edição

André Ventura reage a polémica: “Nada me move contra a comunidade cigana"

O candidato da coligação PSD/CDS à Câmara de Loures desmente ter preconceitos relativamente a minorias e afirma que algumas zonas de Loures são comparáveis a um "barril de pólvora".

André Ventura reage a polémica: “Nada me move contra a comunidade cigana"
Notícias ao Minuto

17:55 - 17/07/17 por Pedro Bastos Reis

Política Loures

O candidato à Câmara Municipal de Loures pela coligação PSD/CDS, André Ventura, afirmou esta segunda-feira que as preocupações da sua candidatura “são questões de segurança e cumprimento da lei” e reiterou que as “reações adversas” às suas declarações sobre a comunidade cigana “não inibir esta candidatura de denunciar situações anómalas”.

Num comunicado enviado às redações, o candidato desmente ter preconceitos contra algumas minorias. “Nada me move contra a comunidade cigana. Ao longo da minha vida sempre convivi bem com pessoas de várias raças e etnias e diferentes credos”, lê-se no documento.

No entanto, André Ventura volta a reforçar a sua ideia de que existem minorias a viver à margem da lei. “O Estado e o poder autárquico não se podem conformar com situações de desordem pública e com guetos onde as forças da autoridade não conseguem repor a ordem, por falta de meios humanos e materiais”, diz.

“Boa parte das pessoas que fica muito incomodada quando são denunciadas estas situações nunca se deslocou a algumas dessas zonas e não tem ideia do ‘barril de pólvora’ que lá se vive diariamente”, acusa o candidato da coligação PSD/CDS à Câmara de Loures.

As polémicas declarações de André Ventura foram feitas inicialmente ao Notícias ao Minuto, tendo o candidato referido que “há minorias que se acham acima da lei” e que “temos tido excessiva tolerância”.

Esta segunda-feira, ao jornal i, reforçou as suas declarações anteriores, particularizando a comunidade cigano que, segundo o candidato, vive “quase exclusivamente de subsídios do Estado”.

Entretanto, o CDS-PP já pediu que estas declarações sejam “cabalmente esclarecidas”.

Campo obrigatório