Meteorologia

  • 13 DEZEMBRO 2017
Tempo
14º
MIN 13º MÁX 15º

Edição

Parlamento condena agravamento da situação na Venezuela. PCP e PEV contra

O parlamento aprovou hoje um voto de condenação proposto pelo CDS-PP sobre o agravamento da "situação de instabilidade e insegurança" na Venezuela, com a oposição do PEV e do PCP, acusado de "branquear" o regime "ditatorial".

Parlamento condena agravamento da situação na Venezuela. PCP e PEV contra
Notícias ao Minuto

14:43 - 21/04/17 por Lusa

Política Assembleia

O voto aprovado por todas as bancadas, à exceção dos comunistas e dos ecologistas, "condena o agravamento da situação política e a perturbação grave da ordem democrática, com consequências terríveis para o povo venezuelano e para a comunidade portuguesa residente" naquele país.

O parlamento português insta as autoridades venezuelanas a "conter a violência e a respeitar os direitos da oposição democrática, restituindo a ordem constitucional na Venezuela" e apela para que "permitam a atuação das organizações internacionais de ajuda" às populações.

O PCP viu aprovados dois pontos de um voto de "repúdio pelas ações de ingerência e desestabilização" contra a Venezuela, nos quais se reafirma "o direito do povo venezuelano a decidir soberanamente sobre o seu caminho de desenvolvimento livre de quaisquer ingerências e pressões externas e em paz".

Com a abstenção do PS, os votos contra do PSD, do CDS-PP e de oito deputados socialistas, o segundo ponto aprovado manifesta "apoio e solidariedade à comunidade portuguesa" que, "como o povo venezuelano, é vítima da campanha de ingerência e desestabilização".

No debate, a deputada do PSD Sara Madruga acusou o PCP de "branquear o que se passa na Venezuela", considerando que "falar de ingerência externa é ser cúmplice do regime antidemocrático da Venezuela".

Em defesa do voto apresentado pelo PCP, Carla Cruz defendeu que a Venezuela é vítima de "ações de ingerência, desestabilização" interna e externa há vários anos e criticou o "oportunismo do PSD e do CDS-PP", que acusou de "instrumentalizar a comunidade portuguesa" que reside naquele país.

Pelo PS, Paulo Pisco considerou que a situação na Venezuela, de "rotura de bens alimentares e medicamentos, de inflação descontrolada e de falência do sistema de saúde" é "uma realidade que não se pode mascarar alegando que todos os males são provocados por ingerência externa".

Já o deputado do CDS-PP Telmo Correia considerou que a posição do PCP "é uma vergonha", frisando que a oposição na Venezuela pede "eleições livres e justas e a libertação dos presos políticos".

Seja sempre o primeiro a saber. Acompanhe o site eleito pela Escolha do Consumidor 2017.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório