Meteorologia

  • 21 AGOSTO 2019
Tempo
18º
MIN 18º MÁX 19º

Edição

O ano em que Marcelo reinou, a vaca voou e o diabo não apareceu

A vaca voadora de António Costa, a chegada de um Presidente amado e as viagens pagas pela Galp ao Euro2016. Recordamos-lhe, em imagens, o que de mais importante aconteceu no panorama político nacional ao longo do ano 2016.

1 de janeiro - Cândido Ferreira, candidato às eleições presidenciais, abandonou em direto o primeiro debate. Manifestou assim o seu desagrado face à “desigualdade de tratamento” dos media por “dividirem os candidatos em três categorias, impedindo que todos debatam com todos”.

No ano em que a ‘Geringonça’ provou ser possível governar com um acordo à Esquerda (sem precedentes até que tomou posse, em novembro de 2015), chegou a Belém o Presidente amado pelos portugueses. Marcelo Rebelo de Sousa venceu as eleições por maioria absoluta e, assim que se tornou Presidente da República portuguesa, abriu as portas do Palácio de Belém a quem o quis visitar.

Tem sido, de resto, essa abertura e descontração a marcar o primeiro ano de mandato. Marcelo distribui beijos e abraços por onde quer que passe, fala aos jornalistas e aos portugueses sobre quase tudo o que marca a atualidade, tira selfies na praia, dança ao som de ritmos africanos e surpreende até ao acompanhar os jovens em exercícios de ‘dabbing’.

E porque falamos em descontração, também António Costa mostrou ser um primeiro-ministro bem humorado ao oferecer à ministra da Presidência uma ‘vaca voadora’. Já à líder do CDS, Assunção Cristas, acabaria por prometer um retrovisor como prenda de Natal, quando esta lhe ofereceu um ‘presente envenenado’: óculos para “ver as coisas focadas”, “soro da verdade” e um pacote com as propostas do CDS.

O ano ficou, de resto, marcado pela eleição de Assunção Cristas como líder do CDS e a saída da política de Paulo Portas, que liderou o partido durante uma década. Ainda entre governantes, rebentou a polémica em torno das viagens pagas pela Galp a secretários de Estado, apressando a aprovação de um Código de Conduta do Governo.

2016 foi também o ano em que o Governo socialista aplicou cortes no financiamento a escolas privadas com contratos de associação com o Estado, em que os casais do mesmo sexo foram autorizados a adotar e em que as subvenções públicas aos partidos e às campanhas eleitorais foram cortadas definitivamente.

*A figura alusiva à vaca com asas que ilustra este artigo é da autoria de Teresa Dias Coelho e corresponde ao logótipo do blogue  'A vaca voadora'

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório