"PS deu-se ao respeito sem ter quaisquer problemas de má consciência"

CDS apresentou um voto para assinalar 25 de novembro, um documento que Tiago Barbosa Ribeiro considerou "provocatório".

© Tiago Barbosa Ribeiro
Política Barbosa Ribeiro

A propósito do 25 de novembro último, data em que é comemorada a tentativa de golpe militar de 1975, o deputado Tiago Barbosa Ribeiro critica o CDS e o seu "voto provocatório" desta terça-feira para assinalar a data.

PUB

Um voto que, na sua opinião, incitava "fracturas ideológicas que a história ultrapassou e que o CDS, que até votou contra a atual Constituição, acha que deve fomentar".

Numa opinião expressa na sua página de Facebook, o deputado refere que o seu partido não acompanhou o voto dos centristas e que, aliás, apresentou o seu próprio voto.

"Porventura haverá quem, numa permanente enunciação de credenciais democráticas que nunca estão em causa no PS, ache que o PS devia ter votado o voto do PP. Creio que uma esmagadora maioria, por outro lado, vai simplesmente entender que o PS se deu ao respeito sem ter quaisquer problemas de má consciência...", rematou o socialista.

COMENTÁRIOS REGRAS DE CONDUTA DOS COMENTÁRIOS