Cigarros eletrónicos. "Proposta de lei, como está, é gravíssima"

“O esmagamento da liberdade faz-se com pequenos passos”, alerta Isabel Moreira.

© GlobalImagens
Política Isabel Moreira

Deputada do PS crítica a proposta de lei que pode equiparar cigarros eletrónicos ao tabaco.

PUB

Em causa estão os chamados produtos de tabaco sem combustão e a situação leva a deputada socialista e especialista em Direito Isabel Moreira a recordar a Constituição, relembrando o direito ao livre desenvolvimento da personalidade.

Num texto publicado esta quarta-feira no blogue Aspirina B, escreve Isabel Moreira que, com esta proposta de lei, “o inócuo vapor é diabolizado e perseguido”, algo que surge por “quem deu a cara pela despenalização das drogas” e que estará agora “a perseguir desproporcionadamente” quem “‘parece’ que fuma”, ironiza sobre consumidores de cigarros eletrónicos.

A questão do simbolismo merece particular destaque no texto de Isabel Moreira, com a deputada do PS: “Tudo isto é feito sob o pretexto de se estar a proteger a saúde pública. Falso. Está-se a proteger o ‘simbolismo’ que é e foi sempre mau”, escreve.

Isabel Moreira salienta que considera ainda que “a proposta, tal como está, é, do meu ponto de vista, gravíssima porque põe em causa o modelo de sociedade em que vivemos, aquele em que cada um é livre de se comportar como quer, desde que não prejudique terceiros”, pode ler-se.

COMENTÁRIOS REGRAS DE CONDUTA DOS COMENTÁRIOS