Meteorologia

  • 04 ABRIL 2020
Tempo
17º
MIN 11º MÁX 18º

Edição

"Prática fascizante é achar-se dono da razão", diz JSD a ministro

Na origem desta reação da Juventude Social-Democrata estão as declarações proferidas, terça-feira, pelo ministro da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior.

"Prática fascizante é achar-se dono da razão", diz JSD a ministro

O ministro Manuel Heitor disse ontem, no Parlamento, que “não há praxes boas e praxes más”, admitindo ser “manifestamente contra as praxes” e garantindo que “é isso” que vai “escrever a todos os dirigentes estudantis”.

“Hoje é de facto o combate a esses movimentos que tem que ser considerado do ponto de vista político, mas sobretudo da comunicação do que deve ser o Ensino Superior”, acrescentou.

Nesta senda, a Juventude Social-Democrata (JSD) reagiu e, num comunicado enviado ao Notícias ao Minuto, criticou a posição assumida pelo ministro.

A JSD começa por lembrar que a “praxe académica praticada em Portugal tem raízes antigas e, quando bem realizada, promove a integração de forma recreativa, lúdica e pedagógica”.

Admitindo que existem excessos durante algumas praxes, a JSD reitera que são “práticas altamente recrimináveis e que cabe a todos denunciar”. Porém, defende que a maioria das praxes “resulta em momentos de bom convívio”.

“Numa sociedade séria e evoluída devemos rejeitar a parte pelo todo ou o todo pela parte. Temos, isso sim, de, com espírito crítico e seriedade, sem embarcar em considerações que demonstram falta de conhecimento da realidade, preconceito de gabinete ou mero populismo, tratar de forma diferente o que é diferente”, lê-se no comunicado.

Assim, a JSD garante que “prática fascizante é achar-se dono de uma razão universal, é proibir todas as práticas apenas porque em alguma se verificam desvios”.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo quarto ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório