Meteorologia

  • 25 OUTUBRO 2021
Tempo
15º
MIN 14º MÁX 23º

Edição

Socialistas reagem a carta de Bruxelas e 'apontam dedo' à Direita

Membros do Partido Socialista (PS) utilizaram as redes sociais para comentar a carta de Bruxelas sobre o esboço do Orçamento de Estado.

Socialistas reagem a carta de Bruxelas e 'apontam dedo' à Direita

A carta de Bruxelas, hoje enviada a Portugal, a pedir esclarecimentos em relação ao esboço do Orçamento do Estado para 2016 provocou o alarme e alguns deputados socialistas 'defenderam-se' através das redes sociais.

“Esta é a famosa carta”, escreveu o deputado socialista Tiago Barbosa Ribeiro na sua página do Facebook, lembrando que não se trata de uma rejeição de qualquer esboço, mas sim de questões colocadas pela Europa.

Desta forma, o membro do partido ‘rosa’ questiona se “alguém consegue estabelecer uma relação entre o conteúdo [da carta] - e as críticas que faz ao anterior Governo e campanha – e a campanha de intoxicação a que assistimos na comunicação social”.

“Só a Direita devia estar confusa: é a primeira vez em alguns anos que um Governo recebe uma carta de Bruxelas e não desata a cortar rendimentos”, atira, acusando o anterior governo de diversos cortes.

Nesta senda, João Galamba frisou que, lendo a carta, “constata-se que a Comissão se limita a perguntar por que razão o Governo não reduz o défice estrutural em 0,6%, como recomendado”.

Na resposta, o socialista é perentório: “Depois do défice estrutural ter aumentado (repito: aumentado) em 2015, depois de franceses, espanhóis e companhia não reduzirem o défice como pretende a Comissão (não o fizeram em 2016 e não o farão em 2016), a resposta é evidente”.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Quinto ano consecutivo Escolha do Consumidor para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório