Meteorologia

  • 16 JANEIRO 2022
Tempo
11º
MIN 7º MÁX 16º

Edição

Lobo D'Ávila diz que Macedo soube "criar pontes com o CDS"

O porta-voz do CDS-PP e ex-secretário de Estado de Miguel Macedo, Filipe Lobo D'Ávila, afirmou hoje que o Governo "perde um dos melhores ministros da Administração Interna", que soube "criar pontes com o CDS".

Lobo D'Ávila diz que Macedo soube "criar pontes com o CDS"
Notícias ao Minuto

17:33 - 17/11/14 por Lusa

Política MAI

"É também a política portuguesa que fica mais pobre. Perde temporariamente um dos melhores políticos da atualidade. Perde temporariamente um político que, vivendo o PSD como poucos, sempre soube criar pontes com o CDS. Eu tive e tenho orgulho de ter feito parte desta equipa do Miguel Macedo. Isso para mim é muito claro", escreveu Lobo D'Ávila na rede social ´facebook'.

O líder parlamentar centrista, Nuno Magalhães, já tinha assinalado no domingo, após a demissão de Macedo, que o ministro "assumiu sempre o espirito da coligação no seu setor".

O porta-voz do CDS afirma também não querer "comentar o processo judicial em curso", mas manifestou-se "verdadeiramente em choque" com as notícias sobre os vistos ´gold'.

"Com franqueza, gostava de acreditar e quero acreditar que não correspondem à realidade dos factos", afirmou.

Sobre Miguel Macedo, que anunciou no domingo a sua demissão do Governo, recordou ter trabalhado com ele durante dois anos e meio, tendo tido "o gosto e o privilégio de o fazer de forma próxima, em tempos de exceção e de enorme exigência, criando uma relação de amizade" que diz fazer questão de preservar.

"Para mim, o resultado disto tudo é claro. O Governo perde um dos melhores ministros da Administração Interna dos últimos 40 anos. O ministro que conseguiu baixar os índices da criminalidade geral e violenta para níveis históricos, que conseguiu repor a normalidade nas Forças de Segurança, nomeadamente resolvendo a trapalhada socialista das tabelas remuneratórias (e que muitas pessoas porventura já se terão esquecido) e que conseguiu extinguir a empresa pública, criada por António Costa em 2007, chamada Empresa de Meios Aéreos", afirmou.

Numa declaração lida no Ministério da Administração Interna, Miguel Macedo considerou que a sua autoridade, enquanto governante, ficou diminuída com o envolvimento de pessoas que lhe são próximas nas investigações da Operação Labirinto, que visam alegados casos de corrupção na atribuição de vistos 'gold'.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Sexto ano consecutivo Escolha do Consumidor e Prémio Cinco Estrelas para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download

;
Campo obrigatório