Meteorologia

  • 19 JULHO 2024
Tempo
30º
MIN 19º MÁX 31º

Filho de Marcelo é "elemento chave" para que o "país saiba a verdade"

Caso Nuno Rebelo de Sousa continue a recusar prestar esclarecimentos, poderá ser alvo de uma queixa por desobediência qualificada.

Filho de Marcelo é "elemento chave" para que o "país saiba a verdade"
Notícias ao Minuto

12:47 - 20/06/24 por Notícias ao Minuto

Política Caso gémeas

João Paulo Correia, do PS, afirmou hoje que o partido não vai aceitar que Nuno Rebelo de Sousa não compareça à Comissão Parlamentar de Inquérito sobre o Caso Gémeas. O socialista considerou que o filho do presidente da República é um elemento chave no processo e que caso continue a recusar estar presente, o Ministério Público terá de ser chamado.

Segundo o deputado socialista, Nuno Rebelo de Sousa terá enviado um e-mail onde se recusa novamente a estar presente na comissão de inquérito, alegando o seu estatuto de arguido. Para o PS, uma coisa não inviabiliza a outra, pelo que “caso ele continue a recusar-se a depor ou continue com esta estratégia de adiar o mais possível a sua presença, o PS defende que o parlamento deve pedir a colaboração do MP como está previsto na lei, porque em causa está um crime de desobediência”.

“Queremos dizer que se ele continuar a recusar depor no CPI trata-se de crime de desobediência, um comportamento inaceitável, grave”, salientou, lembrando que “estamos a falar do elemento chave deste processo”. O socialista recordou, ainda, que “Nuno Rebelo de Sousa teve uma dinâmica de interação com a presidência e com outras entidades” e que “o país, para saber a verdade, precisa que ele venha ao CPI”.

“A condição de arguido tem deveres e direitos específicos mas isso não dispensa a sua presença no CPI”, colmatou, em declarações feitas aos jornalistas na Assembleia da República.

O caso das gémeas luso-brasileiras com atrofia muscular espinhal que foram tratadas com Zolgensma, um medicamento que custa mais de dois milhões de euros, no Hospital de Santa Maria, em Lisboa, voltou a adensar-se com o arranque das audições da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI). 

O filho do Presidente da República, Nuno Rebelo de Sousa, recusou-se a prestar esclarecimentos, o que levou a CPI a intimá-lo a comparecer "presencialmente ou por videoconferência", sob pena de vir a ser alvo de uma queixa pelo crime de desobediência. Foi, entretanto, constituído arguido, tendo Marcelo Rebelo de Sousa assegurado que "não sabia" destes desenvolvimentos.

Leia Também: Caso gémeas. Parlamento obriga filho de Marcelo a prestar declarações

Recomendados para si

;
Campo obrigatório