Meteorologia

  • 24 JUNHO 2024
Tempo
19º
MIN 17º MÁX 29º

Paupério critica mudança no IRS jovem e exige reconhecimento da Palestina

O cabeça de lista do Livre às eleições europeias, Francisco Paupério, criticou hoje o Governo por fazer uma alteração ao IRS dos jovens "sem efeito real" e exigiu o reconhecimento imediato do Estado da Palestina.

Paupério critica mudança no IRS jovem e exige reconhecimento da Palestina
Notícias ao Minuto

22:11 - 24/05/24 por Lusa

Política Europeias

Num discurso na abertura oficial da campanha do Livre para as eleições europeias, no Jardim do Príncipe Real, em Lisboa, o Francisco Paupério criticou o Governo por manter a mesma postura do "executivo de um partido que um dia convidou" os jovens a emigrar.

Argumentou que o novo IRS Jovem aprovado pelo Governo de Luís Montenegro "não tem um efeito real na maioria dos jovens condenados a um ciclo de baixos salários" e que as medidas de apoio à compra de habitação "ignoram a precariedade laboral de um jovem em Portugal e em nada resolvem a escalada do preço das casas e a especulação imobiliária".

Numa mensagem dirigida ao Governo, Francisco Paupério instou o executivo a reconhecer a Palestina, argumentando que não há "qualquer desculpa" e que "outros países europeus já o fizeram". 

Sobre as principais causas do partido a nível europeu, o candidato do Livre sublinhou a importância de a União Europeia dar resposta à emergência climática "com o novo pacto verde e social", ao desemprego jovem "com um aumento da garantia de juventude europeia" e para que a "vida não seja só trabalho", através de uma semana laboral de quatro dias.

"Quando falamos sobre política europeia, apresentamos propostas novas, verdes e concretas sobre como melhorar a vida dos portugueses. E é o que vamos fazer ao longo desta campanha. Nós vamos falar como e a partir do Parlamento Europeu podemos melhorar a vida de todos e todas nós", acrescentou.

Paupério reafirmou também o europeísmo do Livre, mas realçou que "a União Europeia não e perfeita, está longe de o ser e ainda há muito trabalho pela frente".

"Sabemos uma coisa fundamental. O projeto europeu só funciona para toda a gente se for um projeto colocado ao serviço das pessoas. E o Livre é um partido que não aceita a União Europeia de forma cega, conforme ela existe atualmente, mas também não desiste deste projeto europeu", frisou.

O cabeça de lista do Livre esclareceu que o partido pertence "convictamente à Europa que gosta da esquerda" e projetou que, a partir 09 de junho, o Livre estará representado, pelo menos, por dois eurodeputados.

Neste evento marcou também presença Bas Eickhout, co-candidato principal dos Verdes Europeus, que, na sua intervenção, sublinhou a "importância de votar em forças progressistas como os Verdes e o Livre" nas próximas europeias por serem partidos que se impõem "por uma Europa forte" e pela defesa do Estado de direito.

Também os deputados Paulo Muacho e Isabel Mendes Lopes, líder parlamentar do Livre, intervieram nesta abertura da campanha do Livre concentrando parte dos seus discursos na luta contra a ascensão da extrema-direita.

Leia Também: PCP acusa PSD, PS, Chega e IL de estarem juntos em "união antipatriótica"

Recomendados para si

;
Campo obrigatório