Meteorologia

  • 19 JUNHO 2024
Tempo
19º
MIN 13º MÁX 21º

Madeira. PAN espera que haja "condições" mas não faz acordos com o PSD

A cabeça de lista do PAN às eleições legislativas de domingo na Madeira, Mónica Freitas, disse hoje esperar que a "onda positiva" de apoio à candidatura se traduza em votos e que sejam criadas "condições de governabilidade" na região.

Madeira. PAN espera que haja "condições" mas não faz acordos com o PSD
Notícias ao Minuto

13:40 - 23/05/24 por Lusa

Política Madeira

"Derivado a esta instabilidade, as pessoas querem, de facto, condições de governabilidade, que haja um garante de estabilidade para que os projetos possam ser a quatro anos e possam ser projetos coesos e que resolvam os problemas do dia-a-dia", afirmou.

Em declarações à agência Lusa, a candidata do Pessoas-Animais-Natureza (PAN), que é deputada única e assinou um acordo de incidência parlamentar com os sociais-democratas em 2023, viabilizando o Governo Regional PSD/CDS-PP, reiterou que agora não está disponível para novo entendimento.

"O PAN mantém aquilo que temos dito desde o início [da campanha] e que já temos vindo a dizer há vários meses, desde que a situação judicial espoletou cá na região e retiramos a confiança politica a Miguel Albuquerque", disse, explicando que "não faz sentido num cenário pós eleições estarmos a fazer novamente um acordo, sendo a mesma pessoa que está à frente [do PSD]".

Mónica Freitas, também porta-voz do partido na região, assegurou, no entanto, que o PAN não será "oposição pura e dura", caso mantenha a representação parlamentar, sublinhando que "isso não traz produtividade nenhuma à dinâmica parlamentar".

"Aquilo que continuamos a garantir é que seremos sempre um partido de construção, um partido de progresso, aquilo que nos interessa é resolver os problemas das pessoas e iremos sempre trabalhar nesse sentido", afirmou.

A candidatura do Pessoas-Animais-Natureza está a desenvolver hoje atividades de campanha em vários pontos da ilha da Madeira, nomeadamente nos concelhos de Machico, na zona leste, e Câmara de Lobos, na zona oeste, estando também programadas visitas aos bairros sociais da freguesia de Santo António, uma das mais populosas do concelho do Funchal.

"O 'feedback' tem sido muito positivo, temos sido muito bem recebidos", disse a cabeça de lista, para logo acrescentar: "claro que nós sabemos que isso nem sempre se traduz efetivamente em votos, por isso dizemos que não basta gostar, é preciso realmente votar e se as pessoas querem que as causas do PAN continuem assentes na Assembleia precisam de nos dar essa oportunidade e esse voto de confiança."

Mónica Freitas, que tem 28 anos e é assistente social de profissão, disse que um dos principais objetivos do PAN prende-se com a crise habitacional, sublinhando a necessidade de "soluções imediatas" para as famílias alvo de ações de despejo e também de medidas a médio e longo prazo, sobretudo para os casais jovens que pretendem adquirir ou arrendar casa.

O Pessoas-Animais-Natureza defende também a aposta em políticas de trabalho digno, o investimento na fixação de médicos e enfermeiros e o reforço do combate à pobreza, bem como políticas de juventude mais abrangentes.

As legislativas da Madeira decorrem com 14 candidaturas a disputar os 47 lugares no parlamento regional, num círculo eleitoral único: ADN, BE, PS, Livre, IL, RIR, CDU (PCP/PEV), Chega, CDS-PP, MPT, PSD, PAN, PTP e JPP.

As eleições antecipadas ocorrem oito meses após as mais recentes legislativas regionais, depois de o Presidente da República ter dissolvido o parlamento madeirense, na sequência da crise política desencadeada em janeiro, quando o líder do Governo Regional (PSD/CDS-PP), Miguel Albuquerque, foi constituído arguido num processo em que são investigadas suspeitas de corrupção.

Em setembro de 2023, a coligação PSD/CDS venceu sem maioria absoluta e elegeu 23 deputados. O PS conseguiu 11, o JPP cinco, o Chega quatro, enquanto a CDU, a IL, o PAN (que assinou um acordo de incidência parlamentar com os sociais-democratas) e o BE obtiveram um mandato cada.

Leia Também: IL diz que PS "é tão confiável" como Albuquerque e Chega. "Não é não"

Recomendados para si

;
Campo obrigatório