Meteorologia

  • 14 JUNHO 2024
Tempo
18º
MIN 15º MÁX 26º

PSD expressa solidariedade ao Chega e condena ameaça de bomba

O líder parlamentar e secretário-geral do PSD expressou hoje solidariedade ao Chega, em nome da bancada e do partido, condenando a ameaça de bomba ao edifício onde se situa a sede do partido de André Ventura.

PSD expressa solidariedade ao Chega e condena ameaça de bomba
Notícias ao Minuto

13:06 - 23/05/24 por Lusa

Política CHEGA

O edifício da sede do Chega, em Lisboa, foi hoje evacuado depois de um homem ter entrado alegando ter uma bomba, confirmou à Lusa a PSP, que o intercetou e ativou o centro de inativação de explosivos.

O porta-voz da PSP disse à Lusa que o edifício onde se encontra a sede do Chega, na Rua Miguel Lupi, foi evacuado depois de um homem ter entrado com uma mochila alegando que continha um engenho explosivo dentro.

No final da reunião do grupo parlamentar do PSD, em declarações aos jornalistas, Hugo Soares fez questão de se referir a este caso.

"Queria em nome do grupo parlamentar do PSD, e também na qualidade de secretário-geral do PSD, expressar uma palavra de solidariedade ao partido Chega perante o episódio que acabou de acontecer. Creio que deve ser condenado de forma veemente e nós condenamo-lo", afirmou.

Hugo Soares disse já ter contactado quer o presidente do Chega, André Ventura, quer o líder parlamentar, Pedro Pinto, para expressar "esta solidariedade em nome do grupo parlamentar e do PSD".

A assessoria do Chega disse à Lusa que o alerta foi dado cerca das 11:30 e relatou que um homem entrou na sede do partido com uma mochila, dirigiu-se a um funcionário e perguntou pelo líder, André Ventura, e "disse que ia colocar uma bomba no edifício".

O subintendente Sérgio Soares indicou que o homem foi, entretanto, intercetado pelos agentes que se deslocaram ao local e que foi acionada uma equipa de inativação de explosivos.

O porta-voz indicou que o homem "está intercetado, não foi detido", indicando que "pode haver uma questão do foro psicológico", e ressalvando que ainda não está confirmado o conteúdo da mochila.

O subintendente indicou também que a rua está cortada à circulação, tendo sido estabelecido um perímetro de segurança na envolvência do edifício.

Sérgio Soares não confirmou quantos meios foram acionados para o local e indicou que não há registo de feridos.

Leia Também: "Quereria matar-me". Homem detido por ameaça de bomba na sede do Chega

Recomendados para si

;
Campo obrigatório