Meteorologia

  • 23 MAIO 2024
Tempo
13º
MIN 12º MÁX 23º

Operação Influencer. IL pede cautela com "conclusões precipitadas"

O presidente da IL pediu hoje cautela com "conclusões precipitadas" quanto ao acórdão da Relação sobre a Operação Influencer, considerando que o "tempo da justiça deve ser respeitado sempre" independentemente da vantagem para qualquer um dos lados políticos.

Operação Influencer. IL pede cautela com "conclusões precipitadas"
Notícias ao Minuto

13:35 - 18/04/24 por Lusa

Política Operação Influencer

"O momento em que estamos é que houve decisões instrutórias e essas decisões foram agora questionadas pelo Tribunal da Relação. Essas decisões não têm a natureza de decisão final", respondeu aos jornalistas Rui Rocha no parlamento quando questionado sobre a decisão do Tribunal da Relação de Lisboa sobre a Operação Influencer que rejeitou o recurso do Ministério Público, reduziu as medidas de coação dos arguidos a termo de identidade e residência e entendeu não existirem indícios de crimes.

O líder da IL recorreu à "frase que se tornou famosa nos últimos anos" que defende que "deve ser respeitado o tempo da justiça".

"Deve ser respeitado sempre, quer quando isso tem vantagem para um dos lados políticos quer quando isso tem vantagem para outro lado político. É o tempo de acompanharmos com cautela", apelou.

De acordo com Rui Rocha, "haveria vantagem que a Procuradoria-Geral da República prestasse alguns esclarecimentos".

"Mas eu insisto: muito cuidado com conclusões precipitadas sobre a viabilidade ou não do processo com base em decisões sobre decisões instrutórias", defendeu.

O presidente liberal insistiu que estas "não são decisões finais" e portanto é preciso "cautela sobre a tomada de decisões e de posições definitivas sobre aquilo que são na verdade decisões provisórias".

Sobre o facto de o antigo primeiro-ministro António Costa ainda não ter sido ouvido, Rui Rocha apontou que a preocupação do partido é "uma justiça célere e justa para todos".

"Aquilo que eu estranharia é num país em que a justiça é lenta para todos, em que a justiça muitas vezes tarda demais, que houvesse um regime de exceção para titulares de cargos políticos", apontou.

Leia Também: Mortágua pede que PGR esclareça quadro da investigação, âmbito e duração

Recomendados para si

;
Campo obrigatório