Meteorologia

  • 27 MAIO 2024
Tempo
14º
MIN 14º MÁX 22º

Vídeo de Pedro Nuno Santos? "É peso na consciência"

Num vídeo divulgado nas redes sociais, o secretário-geral do PS considerou haver um "buraco nas contas do Governo de 1.350 milhões de euros" que resulta da revisão em baixa do excedente orçamental previsto no programa da AD.

Vídeo de Pedro Nuno Santos? "É peso na consciência"
Notícias ao Minuto

11:35 - 17/04/24 por Notícias ao Minuto com Lusa

Política PCP

O secretário-geral do Partido Comunista Português (PCP) comentou, esta quarta-feira, o recente vídeo do secretário-geral do Partido Socialista (PS), Pedro Nuno Santos, considerando que o mesmo representa "peso na consciência". Raimundo insistiu ainda para que o Governo esclareça o montante que será transferido para as empresas com a descida de IRC e da derrama. 

Note-se que, num vídeo divulgado nas redes sociais, o secretário-geral do PS considerou haver um "buraco nas contas do Governo de 1.350 milhões de euros" que resulta da revisão em baixa do excedente orçamental previsto no programa da AD, perguntando ao Executivo onde vai cortar.

"Sobre o vídeo em concreto não faço comentário. Isso é peso na consciência. Nós também temos de partir do princípio que há muito peso, há muita responsabilidade do Governo anterior, muita responsabilidade de quem participou e foi ministro inclusive de governos anteriores, nas opções que fez", disse o comunista, que falava aos jornalistas no fim de um encontro com a CGTP na sede nacional do PCP, em Lisboa,. "Eu acho que isso é mais para desviar a atenção fundamental, do que é fundamental", acrescentou.

Para o PCP, "a questão fundamental" que se coloca hoje, "a pergunta para a qual é preciso resposta é qual é o cálculo do Governo sobre de facto aquilo que vai ser transferido dos bolsos de todos nós para o bolsos da grandes empresas a partir da descida do IRC e da descida da derrama e outros instrumentos que o Governo está a desenvolver", afirmou.

"O resto é... vamo-nos entretendo. Faço um vídeo aqui, uma declaração ali, um TikTok além, e vamo-nos entretendo e a questão grossa passaria ao lado se nós não tomássemos iniciativa", atirou. 

Recordando que a Assembleia da República debate hoje o alívio fiscal anunciado pelo primeiro-ministro e que gerou polémica últimos dias, sendo o ministro dos Assuntos Parlamentares que vai representar o Governo, Paulo Raimundo remete esta pergunta para o governante.

"O Governo vai ter de responder de forma concreta", disse.

"Não tenho nenhuma dúvida que o ministro que estará presente vai ter de responder às perguntas que vão ser feitas. E nós até estamos a dar uma vantagem ao ministro dos Assuntos Parlamentares, que penso que é quem estará no debate: estamos a colocar já qual é a pergunta que vamos fazer e, portanto, o ministro tem tempo", rematou.

[Notícia atualizada às 12h02]

Leia Também: Pedro Nuno aponta buraco nas contas de 1.350 milhões. "Onde vão cortar?"

Recomendados para si

;
Campo obrigatório