Meteorologia

  • 30 MAIO 2024
Tempo
20º
MIN 16º MÁX 30º

Novo Governo tem "particularidade nunca conhecida... pressão à Direita"

O antigo coordenador do Bloco de Esquerda Francisco Louçã disse que o novo Governo, liderado por Luís Montenegro, "tem uma particularidade que nunca se conheceu na política portuguesa" que passa pela "pressão à Direita".

Novo Governo tem "particularidade nunca conhecida... pressão à Direita"
Notícias ao Minuto

09:44 - 12/04/24 por Notícias ao Minuto

Política Francisco Louçã

O antigo coordenador do Bloco de Esquerda (BE) Francisco Louçã disse, na quinta-feira, que o novo Governo, liderado por Luís Montenegro, "tem uma particularidade que nunca se conheceu na política portuguesa" que passa pela "pressão à Direita" feita por Pedro Passos Coelho e André Ventura. 

"A declaração desta semana de Passos Coelho é de uma violência sobre Montenegro, que é difícil até de perceber. É desleal, é uma rasteira, é no momento escolhido em cima do debate do Governo e sobre um tema que radicaliza a Direita para um terreno em que nunca pode ganhar eleições", disse Louçã num espaço de comentário político na CNN Portugal

Francisco Louçã realçou que em anteriores legislaturas de Direita, "o PSD e o CDS tinham juntos maioria na Assembleia e portanto podiam Governar sem dificuldades". Por seu lado, quando o PS governou sem maioria "podia olhar para a Esquerda e para a Direita e orientar a sua escolha política de alguma legislação conforme as aproximações possíveis". 

Para o bloquista, o facto de o PSD não ter o apoio nem da Direta nem da Esquerda fez com que "houvesse uma espécie de inflação de discursos, muito ameaçadores, muito de jogo".

Ainda assim, Louçã realçou que o "Governo o que não pode pensar é que a partir do dia em que não foi inviabilizado pelo Parlamento tem uma espécie de curso livro e nos voltamos a encontrar daqui a quatro anos. Porque o Parlamento está sempre a ser chamado a votar questões que são pesadas, são importantes".

Recorde-se que esta semana, o ex-primeiro-ministro Pedro Passos Coelho, numa aparente referência a PSD e Chega, disse que "quando há identidades firmadas" não há que ter medo de os espaços políticos "se diluírem ou confundirem entre si". As declarações foram feitas durante a apresentação do livro 'Identidade e Família', que ocorreu na segunda-feira. 

Leia Também: Na presença de Ventura, Passos fala em "diluição" de espaços políticos

Recomendados para si

;
Campo obrigatório