Meteorologia

  • 30 MAIO 2024
Tempo
30º
MIN 16º MÁX 30º

Montenegro "vai ser primeiro-ministro" e "está preparado para o cargo"

Autarca lisboeta acredita que os portugueses estão fartos de eleições e que se deve dar a possibilidade a Montenegro de poder governar.

Montenegro "vai ser primeiro-ministro" e "está preparado para o cargo"
Notícias ao Minuto

11:38 - 12/03/24 por Andrea Pinto

Política Carlos Moedas

O presidente da Câmara Municipal de Lisboa, Carlos Moedas, enalteceu esta terça-feira a mudança "de ciclo político" que se deu este domingo, afirmando, com toda a certeza, que Luís Montenegro será o primeiro-ministro de Portugal, sem acordos com o Chega. 

"[Este] é um momento único de mudança de ciclo para o país", considerou, referindo que "o presidente da Câmara, da mesma forma que geria com o governo existente, vai gerir neste novo ciclo com aquilo que é o interesse dos lisboetas". Porém, reforçou, espera que, desta vez, "os pedidos e reclamações que não estavam a funcionar passem a funcionar".

Para Carlos Moedas, "houve uma vitória clara" em que a Aliança Democrática "ganhou" e Luís Montenegro "vai ser o primeiro-ministro, [um] homem que está preparado para o cargo".

Quando a possíveis acordos com André Ventura, o autarca lisboeta disse pensar que "o líder da AD foi claro, assim como eu fui".

"Não governo com o Chega. A AD não vai governar com o Chega", disse, questionando em seguida: "Querem ou não querem uma mudança de ciclo?", referindo que para que isso seja possível, há que deixar Luís Montenegro exercer o cargo para o qual foi nomeado.

"É ele quem vai ser primeiro-ministro. A questão de quem o vai apoiar é responsabilidade dos partidos. Tanto do PS como do Chega", disse, lembrando que "os portugueses não querem estar de eleição e eleição. Querem estabilidade!".

Quanto à colaboração de Carlos Moedas com este novo Governo, o autarca disse estar disponível para colaborar, mas apenas enquanto presidente da Câmara de Lisboa: "Sou presidente da Câmara e serei [...] É isto que me motiva e o que eu faço", rematou o autarca, que falou aos jornalistas no âmbito da inauguração do funicular da Graça.

Recorde-se que, de acordo com os resultados provisórios, a AD, que concorreu no continente e nos Açores, obteve 1.757.879 votos, 28,63% do total, e elegeu 76 deputados.

Somando a estes resultados os três eleitos e 52.992 votos obtidos na Madeira por PSD e CDS-PP, que concorreram juntos nesta região, sem o PPM, dá um total de 1.810.871 votos, 29,49% do total, e 79 mandatos - 77 do PSD e 2 do CDS-PP.

O PS obteve 1.759.937 votos, 28,66%, e elegeu 77 deputados.

Leia Também: Carlos Moedas "muito confiante" foi "dar um abraço" a Luís Montenegro

Recomendados para si

;
Campo obrigatório