Meteorologia

  • 18 ABRIL 2024
Tempo
17º
MIN 16º MÁX 25º

BE acredita no "voto por convicção" após experiência da maioria absoluta

A coordenadora do BE, Mariana Mortágua, considerou hoje que os portugueses, depois da experiência da maioria absoluta, "vão votar por convicção" e em quem acreditam, defendendo que a direita além de não ter projeto também "não se entende".

BE acredita no "voto por convicção" após experiência da maioria absoluta
Notícias ao Minuto

19:55 - 04/03/24 por Lusa

Política Mariana Mortágua

A caravana do BE dedica hoje todo o dia de campanha ao distrito de Setúbal, tendo Mariana Mortágua falado aos jornalistas a meio de uma arruada pelo centro da cidade setubalense.

"Toda a gente em Portugal que viveu a experiência das últimas eleições, toda a gente em Portugal que viveu a experiência da maioria absoluta vai votar nestas eleições por convicção, no partido em que acredita, no partido que prefere", afirmou.

Num apelo a voto a estas pessoas, Mariana Mortágua defendeu que a "cruz" no boletim para eleger deputados bloquistas servirá "para construir uma grande maioria e para garantir que essa maioria tem as medidas que respondem às preocupações".

"A maioria absoluta deixou crises muito profundas no país", reiterou.

Questionada sobre a troca de argumentos entre IL e PSD durante o dia de hoje na campanha, a coordenadora bloquista defendeu que não foi preciso chegar a este ponto na corrida eleitoral para se compreender que "a direita não só não se entende como não tem um projeto para o país".

"Isso ficou bem claro ao longo dos debates, ao longo dos últimos dias. Não há proposta, não há capacidade para dizer qual é o futuro que se quer para o país. É isso que temos tentado fazer nesta campanha", insistiu.

A líder bloquista disse que o que ouve das pessoas na rua é a preocupação com a habitação ou com as pensões, mas hoje quis relatar um pedido que tinha recebido durante a arruada.

"Hoje houve uma senhora ali atrás que me disse que queria um acordo, um entendimento com a esquerda para que Portugal pudesse mudar", referiu.

No entanto, para o BE esse entendimento "tem que ter conteúdos", assegurando que um voto bloquistas garante não só um acordo, mas que este acordo é feito "para baixar o preço da prestação da casa e da renda", bem como "medidas para salvar o SNS".

"Hoje, quem tiver visto os telejornais vai ver as notícias sobre os lucros da banca. A banca lucrou milhares de milhões de euros ao longo dos últimos anos, com a inflação, castigando as pessoas através da prestação ao banco. O Bloco é o único partido que tem uma proposta que pode baixar a prestação ao banco, mobilizando os lucros da banca para isso, em vez de colocar o dinheiro dos contribuintes a financiar os lucros da banca", exemplificou.

Leia Também: Mortágua recusa "passo atrás" no aborto e promete "melhorar a lei"

Recomendados para si

;
Campo obrigatório