Meteorologia

  • 24 MAIO 2024
Tempo
24º
MIN 13º MÁX 25º

Volt nota maior reconhecimento e acredita na eleição de um deputado

O Volt Portugal disse hoje notar um "maior reconhecimento" nas ruas, salientou que isso ajudará a eleger um deputado nas eleições legislativas e que insistirá no diálogo interpartidário para as "reformas estruturais" de que o país precisa.

Volt nota maior reconhecimento e acredita na eleição de um deputado
Notícias ao Minuto

14:21 - 03/03/24 por Lusa

Política Legislativas

O Parque das Nações, em Lisboa, foi o local escolhido, hoje de manhã, para uma ação de campanha, que era para ser uma gincana, mas, como esta foi antecipada para sábado, acabou por ser uma distribuição de panfletos com as propostas "equilibradas, bem pensadas, possíveis" do movimento político federalista e pró-europeu.

Posicionando-se "no centro moderado", entre PS e PSD, o Volt insiste no "diálogo entre os partidos moderados" que resulte num "acordo ambicioso para transformar Portugal" e num "compromisso a dez anos", para resolver problemas "que não se resolvem com pequenas medidas".

Apesar dos cerca de 400 membros ativos em Portugal, apenas cinco participaram na ação de campanha de hoje, encabeçados pela candidata nacional às eleições, Inês Bravo Rodrigues.

São ainda muitos os que desconhecem o partido, que arrecadou seis mil votos nas legislativas de 2022, o que justifica que a abordagem dos militantes comece com a pergunta "Já conhece o Volt?".

Mas os militantes notam "um maior reconhecimento".

"Temos estado todos os dias na rua e temos sido muito bem recebidos", referiu a candidata.

Além disso, assinalaram, a conjuntura eleitoral é diferente, o que pode favorecer os partidos mais pequenos.

À conversa com a Lusa, os militantes confirmam que há no Volt um predomínio de jovens abaixo dos 30, mas a que se junta um grupo significativo de membros com mais de 55 anos, "preocupados com o futuro das novas gerações" no contexto da União Europeia.

Sendo uma zona muito procurada por turistas, o Parque das Nações serviu para os militantes explicarem que o Volt está presente em vários países da União Europeia.

No atual contexto geopolítico, de "tensões cada vez maiores", é necessário que os partidos falem mais sobre o tema da União Europeia, frisou Inês Bravo Figueiredo, considerando que Portugal "deve procurar liderar" no sentido da sustentabilidade, dos direitos humanos e do reforço a democracia.

Para as legislativas de dia 10, são três as bandeiras principais do Volt: internacionalização da economia, combater a crise na habitação e melhorar a gestão pública.

Sobre a habitação, o Volt revê-se em propostas da direita e da esquerda.

"Sendo o problema tão complexo, não existem balas de prata", assinalou a candidata.

O Volt Portugal defende o aumento do parque habitacional público a rendas acessíveis, através da construção por parceiras público-privadas e cooperativas habitacionais, para chegar aos dez por cento até ao final da legislatura.

Como esse é um processo demorado, propõe, ao mesmo tempo, a reabilitação dos edifícios do Estado atualmente devolutos, acelerando o licenciamento das obras para os colocar no mercado de arrendamento acessível.

No que diz respeito à gestão pública, o Volt Portugal defende que é preciso desburocratizar os processos, "torná-los mais rápidos", recorrendo a ferramentas digitais e de inteligência artificial.

Mais de 10,8 milhões de portugueses são chamados a votar no dia 10 para eleger 230 deputados à Assembleia da República.

A estas eleições concorrem 18 forças políticas - 15 partidos e três coligações.

Leia Também: Volt Portugal defende investimento nas empresas e um simplex 2.0

Recomendados para si

;
Campo obrigatório