Meteorologia

  • 12 ABRIL 2024
Tempo
26º
MIN 15º MÁX 27º

Projeto do PS é "manter pessoas na pobreza para ficarem dependentes"

O presidente do PSD afirmou hoje que o projeto socialista passa por "manter as pessoas na pobreza" para ficarem dependentes do Estado e, no distrito de Santarém, acusou o Governo de se "ter estado nas tintas para a agricultura".

Projeto do PS é "manter pessoas na pobreza para ficarem dependentes"
Notícias ao Minuto

23:19 - 29/02/24 por Lusa

Política Eleições

um jantar-comício em Ourém para mais de mil pessoas, Luís Montenegro defendeu que a AD (coligação que junta PSD, CDS-PP e PPM) é capaz de fazer "muito mais do que o PS diz que é capaz de fazer e muitíssimo mais do que fez nos últimos anos".

O presidente do PSD repetiu, como quase todas as noites, que a candidatura da AD "não se quer distrair muito a falar do seu adversário", mas recusou a acusação do PS de que o projeto de descida de impostos desta candidatura representa uma aventura.

"Quando dizemos que baixamos os impostos queremos dizer duas coisas: às pessoas que trabalham, que vale a pena trabalhar. Não aceito um país em que muita gente que trabalha tem menos dinheiro do que muita gente que não trabalha", disse, recolhendo um grande aplauso na sala.

O líder do PSD salientou que, com esta afirmação, não quer dizer que um Governo que possa liderar vai tirar a quem não trabalha "porque está mais vulnerável ou porque não consegue".

"O que quero dizer é que, se damos esta solidariedade a quem não está a trabalhar, temos de a dar a quem trabalha e quem trabalha não pode perder tanto do seu rendimento. É por isso que queremos baixar os impostos", explicou.

Por outro lado, acrescentou, a descida dos impostos sobre as empresas "não é para enriquecer os patrões das empresas", mas para que estas possam criar mais riqueza e não manter as pessoas num ciclo de pobreza.

"Essa é outra característica do projeto socialista: manter as pessoas na pobreza para elas ficarem dependentes das ajudas do Estado e tirar partido daquilo que é a utilização dos recursos que são de todos nós", acusou.

No distrito de Santarém, Montenegro fez questão de repetir que a agricultura será uma aposta estratégica para um eventual executivo da AD, com muitas críticas ao PS neste setor.

"É mesmo caso para dizer que, nos últimos anos, por opção, diria mesmo por convicção, o PS esteve-se nas tintas para a agricultura", criticou.

Numa intervenção de quase meia hora, Montenegro agradeceu a participação na campanha da antiga líder do CDS-PP Assunção Cristas, que considerou "uma excelente ministra", e ao cabeça de lista da AD em Santarém, Eduardo Oliveira e Sousa, por ter abdicado de uma "vida tranquila" para aceitar este desafio.

Numa mensagem que tem repetido com insistência durante a campanha, o presidente do PSD apelou ao voto útil das pessoas que "estão cansadas dos partidos que têm governado Portugal".

"É verdade que estão muito mais cansadas do PS, houve em Portugal socialismo a mais nas últimas três décadas, mas há pessoas que acumularam frustrações, deceções, criaram expectativas que sucessivos governos - em particular governos socialistas -- acabaram por fazer desvanecer", considerou.

Montenegro disse compreender as pessoas que estão "indignadas, chateadas, muitas mesmo revoltadas", e mais do que apelar ao seu voto, pediu-lhes uma reflexão.

"Peço a ponderação, a avaliação a todos aqueles eleitores que ainda não fizeram a sua escolha e querem mudar de Governo, usem o instrumento que têm na mão para fazer a mudança", disse, defendendo que "o único voto que muda é na AD" e "outras opções acabam por beneficiar o PS".

"Renovem as baterias, renovem as energias, façam como eu faço, que, a cada dia que me levanto, levanto-me com mais vontade, com mais energia, com mais convicção", apelou.

Em 2022, o PSD elegeu três dos nove deputados do círculo de Santarém, cabendo cinco ao PS e um ao Chega.

Mais de 10,8 milhões de portugueses são chamados a votar em 10 de março para eleger 230 deputados à Assembleia da República.

A estas eleições concorrem 18 forças políticas, 15 partidos e três coligações.

[Notícia atualizada às 23h50]

Leia Também: "Gostamos de vocês cá e que fiquem cá", diz Montenegro a imigrante

Recomendados para si

;
Campo obrigatório