Meteorologia

  • 25 ABRIL 2024
Tempo
19º
MIN 13º MÁX 19º

Campanha da CDU percorre 10 distritos e aposta no contacto com população

A campanha da CDU para as eleições legislativas vai percorrer 10 distritos entre 25 de fevereiro e 08 de março, com especial presença em Lisboa e Setúbal e apostando no contacto direto com as populações locais.

Campanha da CDU percorre 10 distritos e aposta no contacto com população
Notícias ao Minuto

09:14 - 24/02/24 por Lusa

Política Legislativas

Segundo o programa eleitoral da Coligação Democrática Unitária (CDU) - composta por PCP e PEV -, oito dos 13 dias definidos para a campanha eleitoral oficial contam passagens pelos distritos de Lisboa (26 e 29 de fevereiro e 03, 05 e 07 de março) e Setúbal (27 e 28 de fevereiro e 03, 06 e 07 de março).

Além da aposta mais efetiva nestes dois distritos, a campanha da CDU vai também passar pelos seguintes distritos: Porto, Leiria, Faro, Évora, Beja, Santarém, Coimbra e Braga. O contacto com as populações ou com trabalhadores, além da realização de desfiles, vai estar presente na maioria dos dias de campanha.

Apesar de a caravana da CDU partir já hoje para a estrada, o período oficial de campanha definido pela Comissão Nacional de Eleições (CNE) começa apenas no domingo.

Para este sábado a agenda está concentrada no distrito de Évora e inclui um almoço em Avis (distrito de Portalegre) - um 'bastião' comunista, onde conseguiu 30,8% nas eleições de 2022 -, uma passagem por Évora à tarde para declarações junto ao novo hospital central do Alentejo e um jantar em Montemor-o-Novo.

O primeiro dia oficial de campanha, domingo, fica preenchido com uma única ação de campanha na cidade do Porto: um comício no Rivoli.

O encerramento ocorre também a norte, no dia 08 de março, com paragens em Vila Nova de Gaia, Porto e, por último, um comício em Braga, distrito no qual terminou a campanha das legislativas de 2022 e onde a CDU elegeu um deputado pela última vez em 2015.

Em 2022, a coligação elegeu um total de seis deputados - dois em Lisboa, dois em Setúbal, um no Porto e outro em Beja -, o que representou uma queda face aos 12 mandatos para a Assembleia da República conseguidos em 2019.

A campanha para as eleições de 10 de março assinala ainda a estreia do secretário-geral geral do PCP, Paulo Raimundo, em iniciativas eleitorais desde que sucedeu a Jerónimo de Sousa na liderança comunista.

Em entrevista à Lusa, Paulo Raimundo destacou as áreas da legislação laboral, salários, habitação e saúde como prioritárias para acordos, mostrando abertura a uma convergência à esquerda, mas também confiança num crescimento da CDU.

"Não temos um objetivo numérico, mas um dos contributos de que o nosso povo e os trabalhadores precisam é de que nós recuperemos os deputados, desde logo aqueles que em 2022 perdemos", referiu.

Leia Também: PCP defende desporto como "componente central da democracia"

Recomendados para si

;
Campo obrigatório