Meteorologia

  • 17 ABRIL 2024
Tempo
25º
MIN 14º MÁX 28º

Discurso machista? "Fui bom ator e isso foi transportado para a política"

Gonçalo da Câmara Pereira considera que se tem "colocado à margem" da coligação da AD, salientando que "a pessoa mais importante neste momento é o Luís Montenegro".

Discurso machista? "Fui bom ator e isso foi transportado para a política"
Notícias ao Minuto

16:29 - 21/02/24 por Notícias ao Minuto

Política PPM

O presidente do Partido Popular Monárquico (PPM), Gonçalo da Câmara Pereira, comentou a sua posição na coligação da Aliança Democrática (AD), considerando que "a pessoa mais importante neste momento é o Luís Montenegro".

"Eu tenho-me colocado à margem. Posso ser útil à coligação, mas a pessoa mais importante neste momento é o Luís Montenegro. O espaço todo é dele, há-de haver o espaço do PPM e também há-de haver o espaço do CDS. É ele que está a liderar um projeto, a coligação. A visibilidade deve ser ele, única e exclusivamente", explica Gonçalo da Câmara Pereira em declarações à CNN Portugal à margem da pré-campanha eleitoral no Funchal, na Madeira.

Câmara Pereira mostra vontade de ser deputado pela AD, porque considera que não é "só dar o nome", mas quer "intervir" e sente que tem "capacidade" para agir.

Com "uma maioria", o presidente do PPM realça que "com certeza" que vai estar no Governo "a defender as bandeiras" do seu partido.

"O PPM é um partido muito ecologista e muito ambientalista. É o pai da ecologia e do ambiente. Todos estes partidos que falam de ecologia, misturam com política. A ecologia e o ambiente não podem mexer com a política, tem de andar de mãos dadas com a política", realça Gonçalo da Câmara Pereira.

Sobre a justiça em Portugal, o líder do PPM afirma que "está um caos", começando pelo Tribunal Constitucional (TC) cujos "juízes são nomeados pelos deputados da Assembleia da República", considerando que "é um contrassenso".

O líder do PPM foi acusado pela oposição de ter um posições publicamente machistas. Câmara Pereira salientou que "foi um bom ator" na sequência de "10 anos a ser contratado para ser um machista na televisão, em programas lúdicos" e isso "foi transportado para a política".

"Deus queira que não seja por ignorância, porque a política não precisa de ignorantes" acrescentou, negando ser um homem machista.

"Tenho mulher e três filhas. Nunca bati nem nunca me passou pela cabeça bater numa mulher. Nem com uma flor. Pagaram-me para fazer um papel e estou muito contente porque o papel resultou. Confundem a minha postura política com o papel que fiz de ator", atira.

Leia Também: Açores. Coligação PSD/CDS-PP/PPM e PS tiveram mais votos do que em 2020

Recomendados para si

;
Campo obrigatório