Meteorologia

  • 29 FEVEREIRO 2024
Tempo
16º
MIN 11º MÁX 16º

Do "problema sério" da habitação ao silêncio sobre TAP. O programa do PS

Entre as principais medidas apresentadas este domingo por Pedro Nuno Santos estão uma nova fórmula de atualização das rendas, a gratuitidade do acesso ao pré-escolar a todas as crianças e "garantia pública" ao crédito à habitação para pessoas até aos 40 anos.

Do "problema sério" da habitação ao silêncio sobre TAP. O programa do PS
Notícias ao Minuto

17:13 - 11/02/24 por Notícias ao Minuto

ao minuto Ao Minuto Política Legislativas

O secretário-geral do PS, Pedro Nuno Santos, apresentou, este domingo, o programa eleitoral do Partido Socialista. A apresentação aconteceu no Teatro Thalia, em Lisboa, a menos de um mês das Eleições Legislativas de 10 de março.

Pedro Nuno Santos discursou durante pouco mais de uma hora, deixando claro que a Saúde, a Habitação e o desenvolvimento da economia são "desafios" e "prioridades" do PS, que querem "mudar" e "fazer diferente" aquilo que correu menos bem na governação socialista dos últimos oito anos.

Enfatizando o "legado" dos socialistas que, considerou que fez "crescer o país", Pedro Nuno Santos acusou a Direita, nomeadamente de querer "um país dividido" e um "Portugal sombrio", de "não ter resposta nem visão para a economia" do país e de resolver todos os problemas a "baixar os impostos".

Fim de cobertura

Daniela Carrilho | há 2 semanas

Boa noite. Finalizamos agora o acompanhamento AO MINUTO da apresentação do programa eleitoral do Partido Socialista (PS). Obrigada por ter estado connosco!

Pedro Nuno promete não se esquecer de militares (mesmo sem manifestações)

Lusa | há 2 semanas

O secretário-geral do PS prometeu hoje, na apresentação do programa eleitoral do partido para as eleições legislativas, não se esquecer dos militares e indicou que "não é por eles não se manifestarem" que isso iria acontecer.

Pedro Nuno promete não se esquecer de militares (mesmo sem manifestações)

O secretário-geral do PS prometeu hoje, na apresentação do programa eleitoral do partido para as eleições legislativas, não se esquecer dos militares e indicou que "não é por eles não se manifestarem" que isso iria acontecer.

Lusa | 21:30 - 11/02/2024

Pedro Nuno quer "um Ministério da Economia com força" com "instrumentos"

Lusa | há 2 semanas

O secretário-geral do PS considerou hoje que o Banco de Fomento não funcionou como se esperava no apoio às empresas nacionais e defendeu que o ministro da Economia tem de ter mais instrumentos de ação.

Pedro Nuno quer "um Ministério da Economia com força" com "instrumentos"

O secretário-geral do PS considerou hoje que o Banco de Fomento não funcionou como se esperava no apoio às empresas nacionais e defendeu que o ministro da Economia tem de ter mais instrumentos de ação.

Lusa | 21:11 - 11/02/2024

O programa eleitoral do PS na íntegra

Daniela Carrilho | há 2 semanas

O Partido Socialista (PS) já disponibilizou o programa eleitoral na íntegra, aquilo que chamam um "Plano de Ação para Portugal Inteiro".

O PS salienta que "este documento é muito mais do que um programa eleitoral", "verdadeiramente completo" e "representa uma nova atitude e um novo impulso para o país", no qual "ninguém fica para trás".

"Demonstra a determinação do Partido Socialista em continuar a melhorar a vida dos portugueses nos próximos anos: através da transformação e da aceleração da nossa economia; na valorização de rendimentos e de pensões; na criação de mais e melhor emprego; através de um leque abrangente de apoios nas mais diversas áreas da vida dos Portugueses, da educação ao emprego, passando pela habitação; na defesa e no reforço do nosso Serviço Nacional de Saúde, a mais bela construção da nossa democracia", pode ainda ler-se numa publicação do partido nas redes sociais.

Confira aqui a campanha eleitoral do PS na íntegra.

Pedro Nuno promete libertar ministros setoriais do controlo das Finanças

Lusa | há 2 semanas

O secretário-geral do PS prometeu hoje aumentar a autonomia dos ministros setoriais na ação governativa, libertando-os do controlo das finanças, delegar mais poderes na administração intermédia e maior transparência na comunicação das medidas ao povo.

Pedro Nuno promete libertar ministros setoriais do controlo das Finanças

O secretário-geral do PS prometeu hoje aumentar a autonomia dos ministros setoriais na ação governativa, libertando-os do controlo das finanças, delegar mais poderes na administração intermédia e maior transparência na comunicação das medidas ao povo.

Lusa | 20:27 - 11/02/2024

"Portugal é um país aberto que construiu a sua história no mundo"

Daniela Carrilho | há 2 semanas

"Portugal é um país que se fez no mundo. Não é um país fechado, é um país aberto que fez e construiu a sua história no mundo. Temos responsabilidades maiores do que muitos outros países. Vivemos um momento de grande incerteza, temos uma guerra na Europa e uma perto da Europa. Vivemos neste ambiente de instabilidade internacional", afirma Pedro Nuno Santos nos momentos finais do seu discurso.

O socialista reafirma que Portugal "é respeitado lá fora", assim como o PS.

"Vontade de representar os sonhos de Abril ainda não concretizados, viver num Portugal inteiro, que coopera, com luz, desenvolvido, é isto que nós queremos. A luta é difícil e dura, mas nós somos socialistas e temos consciência da missão que temos pela frente, ao lado do nosso povo", termina.

PNS quer aplicar a taxa de 6% nos primeiros 200 kw de energia mensal

Daniela Carrilho | há 2 semanas

Pedro Nuno Santos termina a apresentação com uma última medida para os portugueses: alargar o desconto do IVA na eletricidade e fazer chegar a taxa de 6% aos consumos nos primeiros 200 kw de energia mensal de 3,4 milhões de pessoas.

"Hoje há 300 mil portugueses que pagam uma taxa de IVA de 6% para a totalidade do seu consumo, o teto são 100kw por mês e nós queremos duplicar. Assim, 3,4 milhões de portugueses vão pagar 6% de IVA da totalidade da sua energia. Queremos que todos tenham conforto térmico em Portugal", salienta.

PNS quer atualizar limites dos escalões do IRS "todos os anos"

Daniela Carrilho | há 2 semanas

Atualizar "todos os anos" os limites dos escalões do IRS de acordo com a taxa de inflação, é outra das medidas do PS.

Assim, quem paga IRS deve ter o "benefício através do IVA".

"Queremos devolver em sede de IRS às famílias, com menores rendimentos, mesmo os que não pagam IRS hoje, que uma parte do IVA suportado em despesas familiares essenciais lhes sejam devolvidos".

PS quer eliminar todas as portagens na SCUT no interior e Algarve

Daniela Carrilho | há 2 semanas

Pedro Nuno Santos afirmou ainda, durante o seu já longo discurso, que pretende eliminar todas as portagens na SCUT no interior do país e no Algarve.

Esta medida, segundo o líder socialista, foi "desdenhada" pelo líder da AD. "É uma medida de respeito para quem ficou nos seus territórios a viver, a trabalhar e a desenvolvê-los", destaca.

Pedro Nuno antecipa meta da neutralidade carbónica para 2045

Daniela Carrilho | há 2 semanas

O líder socialista foca ainda a importância da emergência climática e, nesse sentido, antecipa a meta da neutralidade carbónica de 2050 para 2045.

"Queremos chegar a 2030 com 85% da nossa energia elétrica produzida por fonte renovável", afirma.

Pedro Nuno quer alargar o IRS Jovem a não licenciados

Daniela Carrilho | há 2 semanas

O secretário-geral do PS defendeu hoje o alargamento do IRS jovem "para todos", independentemente do seu nível de qualificação, por isso, esta medida inclui agora jovens não licenciados.

Apoio ao alojamento estudantil alargado a estudantes da classe média

Daniela Carrilho | há 2 semanas

O apoio ao alojamento estudantil será alargado a estudantes da classe média deslocados e não apenas a bolseiros.

PS quer acesso ao pré-escolar gratuito para todas as crianças

Daniela Carrilho | há 2 semanas

Após o anúncio da gratuitidade das creches para todos, os socialistas querem alargar a gratuitidade e universalidade do acesso ao pré-escolar a todas as crianças, entre os três e os seis anos, em Portugal. 

PS defende "recuperação do tempo integral do serviço dos professores"

Daniela Carrilho | há 2 semanas

No que diz respeito à Educação do país, Pedro Nuno diz querer "melhorar os escalões de entrada na carreira docente para a tornar mais atrativa".

"É uma das carreiras mais nobres, a de ensinar", afirma, destacando que "há problemas no curto prazo", que têm de ser resolvidos, essencialmente a atração de mais jovens para a profissão.

Assim, há a necessidade de "recuperação do tempo integral do serviço dos professores".

Retirar rendimentos dos filhos do Complemento Solidário para Idosos

Daniela Carrilho | há 2 semanas

Pedro Nuno Santos fala ainda na necessidade de mudanças no Complemento Solidário para Idosos, principalmente no que diz respeito à inclusão dos rendimentos dos filhos para o cálculo.

"Não achamos isso legítimo", afirma.

Pensões? PSD quer "reconciliar-se com portugueses que mais maltrataram"

Daniela Carrilho | há 2 semanas

Pedro Nuno Santos dirige-se agora "aos mais velhos", aqueles que "devemos o máximo respeito".

"O líder do PSD fez a maior mentira desta campanha na apresentação do seu programa. Teve a coragem de dizer que o governo do PS tinha cortado mil milhões de euros nas pensões aos pensionistas e aos reformados. Mentiu, os governos do PS nos últimos 8 anos não cortaram um cêntimo nas pensões", acusa o líder socialista, considerando que Montenegro se quer "reconciliar com os portugueses que mais maltrataram sempre que governaram", no entanto, terá primeiro de se "reconciliar com a verdade".

"Fizemos seis aumentos extraordinários das pensões. Não nos esquecemos do que fizeram, fazem agora um grande esforço para dar uma grande cambalhota, mas não podem apenas dizer que fizeram os cortes a que estavam obrigados, quando todos nós sabemos que tentaram que estes cortes fossem permanentes", atira PNS.

PS quer "garantia pública" para quem compra casa até aos 40 anos

Daniela Carrilho | há 2 semanas

Pedro Nuno Santos refere-se a uma "garantia pública" ao crédito à habitação para jovens até aos 40 anos que querem comprar uma casa.

Para quem fique em situação de incumprimento no crédito à habitação, Pedro Nuno diz querer "dar a possibilidade a essa família de transferir para o Estado a posse do imóvel, a posição sobre o crédito para o Estado"

Desta forma, "o Estado poderá contratualizar um contrato de arrendamento que essa família possa pagar, para que não saia da casa".

Pedro Nuno quer repensar a fórmula de atualização das rendas

Daniela Carrilho | há 2 semanas

Pedro Nuno Santos garante que só será dada uma resposta em termos de habitação "se continuarmos a insistir em alargar o parque público de habitação para a classe média".

Havendo uma "pressão sobre a procura tremenda", isso teve consequências "na pressão sobre os preços sobre o imobiliário". Por isso, o PS quer "retirar pressão" e "acabou com vistos Gold, regime para habitantes não habituais ou restrições ao Alojamento Local".

"As medidas que nós tomámos já estão hoje a dar resultados", adianta, dizendo que quer repensar a fórmula de atualização das rendas sempre que haja inflação alta.

Nesta sequência, as famílias podem deduzir no IRS despesas com arrendamento até 600 euros, com o objetivo do PS a querer passar este valor para 800 euros "ao longo da legislatura".

PNS assume ainda que quer "rever o Porta 65", que apoia o arrendamento de jovens.

"O problema é que tem um teto às rendas que são admissíveis. Como as rendas têm disparado, infelizmente há cada vez menos apartamentos disponíveis que caibam dentro do programa", lamenta.

PS quer evolução dos salários na fórmula de atualização das rendas

O PS quer que a evolução dos salários seja incluída na fórmula de atualização das rendas, anunciou hoje o secretário-geral socialista, que acusou os partidos à direita de proporem baixar impostos como solução para tudo.

Lusa | 21:03 - 11/02/2024

PS quer iniciar negociações para valorizar carreiras e salários no SNS

Lusa | há 2 semanas

O PS pretende, se formar governo, iniciar negociações imediatas com os profissionais do Serviço Nacional de Saúde para rever as carreiras e valorizar os salários, e admite, no que respeita às pensões, alterar o modelo de atualização.

"No âmbito da valorização dos profissionais de saúde, o PS compromete-se a encetar negociações imediatas com os profissionais de saúde, no âmbito de um plano concertado de revisão das carreiras e de valorização salarial, reforçando a vertente de formação e investigação e melhorando as condições de trabalho", lê-se, no programa eleitoral do PS, hoje apresentado em Lisboa.

PS quer iniciar negociações para valorizar carreiras e salários no SNS

O PS pretende, se formar governo, iniciar negociações imediatas com os profissionais do Serviço Nacional de Saúde para rever as carreiras e valorizar os salários, e admite, no que respeita às pensões, alterar o modelo de atualização.

Lusa | 18:50 - 11/02/2024

Privatização da TAP? Nenhuma referência no programa eleitoral do PS

Lusa | há 2 semanas

O PS não faz referências no seu programa eleitoral à privatização TAP, e propõe que a companhia aérea mantenha ligações "regulares e acessíveis" para países com comunidades portuguesas de dimensão significativa.

Privatização da TAP? Nenhuma referência no programa eleitoral do PS

O PS não faz referências no seu programa eleitoral à privatização TAP, e propõe que a companhia aérea mantenha ligações "regulares e acessíveis" para países com comunidades portuguesas de dimensão significativa.

Lusa | 18:38 - 11/02/2024

"Até para ganharmos a Eurovisão, eles acham que basta baixar impostos"

Daniela Carrilho | há 2 semanas

Pedro Nuno Santos continua a atacar a Direita, dizendo que têm a "mesma forma para tudo".

"Até para ganharmos o Festival da Eurovisão, acho que eles acham que basta baixar os impostos", atira Pedro Nuno, comparando este caso com a questão da habitação.

Habitação? "É um dos grandes desafios, um dos maiores problemas" do país

Daniela Carrilho | há 2 semanas

Sobre a habitação, o secretário-geral do PS assume que "é um dos grandes desafios, um dos nossos maiores problemas", seja em Portugal ou a nível europeu.

"Um problema sério exige que o abordemos com honestidade, clareza e frontalidade. Tenho visto vários programas que nos atacam a nós e não dão respostas", salienta PNS, dirigindo-se à Direita que aborda o tema "sempre da mesma forma: benefícios fiscais".

PS quer rastreios auditivos e visuais antes de iniciar percurso escolar

Daniela Carrilho | há 2 semanas

O PS quer rastreios auditivos e visuais a todas as crianças antes de iniciar percurso escolar, assim como "garantir um programa de atribuição gratuita de óculos a crianças de famílias com baixos rendimentos".

"A aprendizagem no PS é para todos. Seja filho de patrão, de empregado ou desempregado. Têm de ter as mesmas condições quando começam o seu período escolar", refere.

PS quer garantia ao crédito para casa própria de pessoas até 40 anos

Lusa | há 2 semanas

O programa eleitoral do PS pretende que o Estado preste uma garantia pública ao financiamento do crédito para habitação própria contraído por pessoas até aos 40 anos que não tenham casa em seu nome.

Para apoiar a aquisição de casa própria, o programa do PS prevê que o Estado preste uma "garantia pública ao financiamento bancário nos créditos para aquisição de casa própria de pessoas até aos 40 anos que ainda não tenham nenhuma habitação em seu nome".

PS quer garantia ao crédito para casa própria de pessoas até 40 anos

O programa eleitoral do PS pretende que o Estado preste uma garantia pública ao financiamento do crédito para habitação própria contraído por pessoas até aos 40 anos que não tenham casa em seu nome.

Lusa | 18:41 - 11/02/2024

PS propõe que médicos de lares prescrevam medicamentos, exames e análises

Daniela Carrilho | há 2 semanas

Pedro Nuno Santos diz que "quer que o SNS faça cá dentro o que contratualiza lá fora", uma vez que "gerimos os nossos recursos nas nossas instalações", sejam hospitais ou centros de saúde.

"Queremos que tenham confiança nos centros de saúde, porque sabemos porque há muitos portugueses que resistem em ir aos centros de saúde, porque não fazem o que os hospitais fazem".

Nesse sentido, o PS quer "investir nos cuidados primários" e "internalizar capacidade de resposta" nestas unidades.

Além disso, o PS propõe que os médicos dos lares possam prescrever medicamentos, análises e exames, evitando que os utentes tenham de se deslocar aos centros de saúde e às urgências hospitalares.

PS quer criar Simplex Rural para os agricultores

Lusa | há 2 semanas

O PS propõe a criação de um 'Simplex Rural' para desburocratizar os procedimentos e apoios à exploração pelos agricultores, assim como fixar preços mínimos pagos ao produtor, segundo o programa eleitoral socialista hoje divulgado.

PS quer criar Simplex Rural para os agricultores

O PS propõe a criação de um 'Simplex Rural' para desburocratizar os procedimentos e apoios à exploração pelos agricultores, assim como fixar preços mínimos pagos ao produtor, segundo o programa eleitoral socialista hoje divulgado.

Lusa | 18:20 - 11/02/2024

PS promete "negociações imediatas" com forças de segurança

Lusa | há 2 semanas

Outra das medidas que constam do programa eleitoral do PS para as legislativas de 10 de março é desencadear negociações imediatas com as associações sindicais e profissionais das forças de segurança e proceder à revisão das carreiras dos bombeiros.

Estas são duas das medidas que fazem parte do capítulo dedicado à segurança do programa eleitoral do PS, intitulado "Plano de ação para Portugal inteiro", e que hoje foi publicamente divulgado.

PS promete "negociações imediatas" com forças de segurança

O PS promete no seu programa eleitoral para as legislativas de 10 de março desencadear negociações imediatas com as associações sindicais e profissionais das forças de segurança e proceder à revisão das carreiras dos bombeiros.

Lusa | 18:29 - 11/02/2024

"SNS está em risco". "Foi a maior e mais bonita construção coletiva"

Daniela Carrilho | há 2 semanas

Sistema Nacional de Saúde é o primeiro tema.

"O SNS está em risco nesta campanha. É bom que todos tenhamos consciência do que está em causa", assume PNS, dizendo que a "AD não consegue esconder o que querem fazer para a Saúde".

"O projeto da Direita é claro: deixar de investir no SNS e passar a desviar recursos para o negócio privado da Saúde", acusa o líder socialista, salientando que "o SNS foi a maior, a mais fantástica, a mais bonita construção coletiva do povo português".

"A ideia do colapso do SNS não é feita por acaso, tem um propósito que é justificar o que eles querem fazer", atira, salientando que "conseguimos aumentar a esperança média de vida dos portugueses" e "uma das razões principais foi o SNS".

Para PNS, "a resposta não é desistir no SNS, mas sim investir nele, que passe a dar resposta a maior procura". Por isso, é preciso "não ter memória curta" e é necessária "a reorganização do SNS", ressalvando que o "SNS foi testado até ao limite durante a pandemia", altura em que o país tentou combater a Covid-19 para "não falhar ao povo".

"O SNS está lá, está sempre lá, o SNS nunca diz que não a um cidadão que entra pela porta", enfatiza.

"Não é só exportar, é internacionalizar a economia portuguesa"

Daniela Carrilho | há 2 semanas

Pedro Nuno Santos ressalva ainda que quer "apoiar a internacionalização".

"É ter empresas no exterior, é comprar, é fundir, é a presença no exterior. Não é só exportar, é internacionalizar a economia portuguesa", salienta.

"A Direita não tem resposta nem visão para a nossa economia"

Daniela Carrilho | há 2 semanas

Segue agora a fase de apresentação do programa de ação do Partido Socialista.

Sobre a economia portuguesa, PNS diz que há um desequilíbrio das qualificações das pessoas e da evolução da economia. 

"Desenvolver a economia é a nossa maior prioridade. Mais complexa, mais diversificada, que dê melhores empregos, melhores salários", diz, acusando que "a Direita não tem resposta nem visão para a nossa economia".

"A AD e os seus parceiros, para eles a solução é a baixa do IRC. Por ato de fé, a economia vai transformar. Olhar para o IRC de frente: 40% das nossas empresas não pagam IRC. A Direita quer um corte cego e transversal do IRC a todas as empresas", enfatizando que vai beneficiar a banca, os seguros, a grande distribuição e o setor imobiliário.

"Queremos privilegiar quem reinveste os seus lucros", diz PNS, sendo estas pessoas que vão beneficiar do IRC.

Ter "um Portugal sombrio"? "Esse é o projeto da Direita inteira"

Daniela Carrilho | há 2 semanas

"Nós queremos Portugal lá em cima e isso é mesmo possível com o PS", ressalva o secretário-geral do partido, assumindo que não quer "um Portugal dividido e ressentido, onde os políticos aproveitam a legítima insatisfação e descontentamento e o transformam em ódio e em ressentimento".

Neste sentido, PNS diz que não quer "um Portugal sombrio". "Esse é o projeto da Direita inteira, com diferentes tonalidades, todos querem o mesmo, um país individualista. Temos uma visão comunitária, os problemas de uns são os problemas de todos, foi assim que construímos o Portugal a seguir a Abril".

PS quer revisão dos prazos judiciais e clarificar poderes na PGR

Lusa | há 2 semanas

O PS pretende proceder a uma revisão transversal dos prazos judiciais, clarificar as formas de coordenação e dos poderes hierárquicos da Procuradoria-Geral da República (PGR) e regular as atividades de representação de interesses junto do Estado.

PS quer revisão dos prazos judiciais e clarificar poderes na PGR

O PS pretende proceder a uma revisão transversal dos prazos judiciais, clarificar as formas de coordenação e dos poderes hierárquicos da Procuradoria-Geral da República (PGR) e regular as atividades de representação de interesses junto do Estado.

Lusa | 18:09 - 11/02/2024

PS quer devolver às famílias mais pobres parte do IVA de bens essenciais

Lusa | há 2 semanas

O PS promete devolver às famílias com menores recursos parte do IVA suportado em consumos de bens essenciais e reduzir o IRS para a classe média, através da diminuição das taxas marginais.

PS quer devolver às famílias mais pobres parte do IVA de bens essenciais

O PS promete devolver às famílias com menores recursos parte do IVA suportado em consumos de bens essenciais e reduzir o IRS para a classe média, através da diminuição das taxas marginais.

Lusa | 18:03 - 11/02/2024

Estas são algumas das propostas fiscais do programa eleitoral do PS que está a ser apresentado hoje numa sessão pública em Lisboa, em que intervêm, além do secretário-geral socialista, Pedro Nuno Santos, o socialista e atual ministro das Finanças, Fernando Medina, e Alexandra Leitão, que coordenou a elaboração do documento.

"E perdoem-me, eu também vou mudar algumas coisas", assume PNS

Daniela Carrilho | há 2 semanas

"E perdoem-me, eu também vou mudar algumas coisas, e aqui eu quero mudar, que seja claro", assume PNS.

"Temos de construir uma relação de transparência e honestidade", adianta ainda, afirmando que "queremos um governo com autonomia, um governo em que os ministros setoriais têm autonomia".

"Num governo, não é o Ministério das Finanças que manda, é o Conselho de Ministros e o seu primeiro-ministro. É assim que queremos que funcione", refere.

"Ao contrário do que muita gente pensa e escreve, o ministro das Finanças com quem trabalhei melhor foi mesmo Fernando Medina. Foi possível que se confiasse mais, que responsabilizássemos quem tem de decidir. O compromisso com a restrição orçamental não pode ser apenas do ministro das Finanças, é de todo o Governo", realça Pedro Nuno.

Mudança? "Porque há problemas novos que precisam de respostas novas"

Daniela Carrilho | há 2 semanas

"Novo impulso, mais ação, futuro", é o mote de Pedro Nuno Santos, que quer "mudar". "Mudar não é destruir nem renunciar àquilo que fizemos e construímos. Mudar significa avançar, fazer, fazer novo, fazer diferente. Mudar porque há problemas novos que precisam de respostas novas".

PNS diz que "tem orgulho no legado" do PS, naquilo que foi feito anteriormente, mas agora quer "apontar para o futuro".

"Não precisamos de ideias e de propostas, precisamos de as fazer, de as concretizar, de ação. De não adiarmos os nossos sonhos. Queremos ver Portugal melhor, mas já hoje", salienta o candidato a primeiro-ministro.

PS promete "novo equilíbro" entre redução da dívida e estímulo à economia

Lusa | há 2 semanas

O PS promete um "novo equilíbrio" entre a redução da dívida pública e o estímulo à economia, com aumentos salariais sempre superiores à inflação até ao final da legislatura.

PS promete "novo equilíbro" entre redução da dívida e estímulo à economia

O PS promete um "novo equilíbrio" entre a redução da dívida pública e o estímulo à economia, com aumentos salariais sempre superiores à inflação até ao final da legislatura.

Lusa | 18:00 - 11/02/2024

"Não vou estar tanto tempo em silêncio como esteve o líder do PSD"

Daniela Carrilho | há 2 semanas

Chegou a vez do secretário-geral do PS, Pedro Nuno Santos, iniciar a sua intervenção para anunciar as propostas do programa eleitoral.

"Não vou estar tanto tempo em silêncio como esteve o líder do PSD", ironiza Pedro Nuno, motivando gargalhadas da plateia.

Programa? "Aquilo que vos apresentamos é um exercício de credibilidade"

Daniela Carrilho | há 2 semanas

"Capacidade de assegurar o equilíbrio orçamental, de assegurar uma trajetória da dívida pública, um ritmo menor porque temos crescimento mais baixo, uma inflação mais baixa, mas também porque já fizemos uma parte muito importante do que havia a fazer em matéria de dívida pública", afirma.

"Aquilo que vos apresentamos é um exercício de credibilidade, um programa económico com base na previsibilidade, o saber que não há surpresas, que o dia a seguir vai correr normalmente, uma política sem sobressaltos, de verdade", finaliza Medina, sobre o programa eleitoral do PS.

"O programa económico do PSD é verdadeiramente um embuste"

Daniela Carrilho | há 2 semanas

"Conseguimos ter uma economia mais internacionalizada, mais competitiva. Ao contrário do que a Direita nos tem dito, que a nossa economia não anda, não progride, não faz, a realidade dos números desmente-os em absoluto", argumenta Medina, enfatizando que a visão do PS quer dar "respostas efetivas" e "construir com realismo o programa que podemos cumprir".

"O programa económico do PSD é verdadeiramente um embuste. É verdadeiramente um instrumento sem qualquer credibilidade", acusa a oposição, dizendo que querem "prometer tudo a todos" e "dar o que não existe".

"O líder do PSD veio dizer que se houver uma crise, uma dificuldade, já não vamos cumprir as coisas como estão aqui. Mas digo a Montenegro, mesmo que as coisas fiquem mais difíceis do que nós prevemos, nós temos condições para cumprir tudo o que está no programa eleitoral do PS", afirma.

"O programa económico do PSD é verdadeiramente um embuste", diz Medina

O ministro das Finanças, Fernando Medina, classificou hoje como "um embuste" o programa do PSD para as eleições legislativas de 10 de março, e contrapôs que o PS só promete aquilo que pode cumprir.

Lusa | 18:34 - 11/02/2024

"Resultados que estamos a alcançar são bons para o país e para o povo"

Daniela Carrilho | há 2 semanas

Problemas sérios na atratividade fiscal? "Não há melhor desmentido do que este: Portugal é dos países que mais viu crescer o investimento direto estrangeiro dentro da zona euro. Fomos nos últimos anos dos países que mais atraiu novas empresas, mais exigentes, capazes de assegurar mais empregos, com melhores remunerações. Atingimos, por isso, uma posição invejável de crescimento muito importante do peso do investimento direto estrangeiro do PIB da economia portuguesa", ressalva Medina.

"Resultados que estamos a alcançar são bons para o país e para o povo português", salienta ainda.

"Já não temos como voltar atrás, só temos como melhorar"

Daniela Carrilho | há 2 semanas

Medina continua a sua intervenção, notando que há um "princípio de desonestidade intelectual", sobre o facto de recuarem 20 anos e não 5, 10 ou 15, tempo em que houve menos desenvolvimento no país, mas que não corresponde, de facto, aos últimos anos.

"As baixas qualificações da população levava-nos a uma dificuldade acrescida a fazer crescer. Estamos a vencer esse desafio, temos muito para fazer, mas a verdade é que atingimos, pela primeira vez, temos na população entre 25-34 anos no ensino superior, estamos acima da média europeia", destaca Medina.

"Já não temos como voltar atrás, só temos como melhorar", acrescenta o socialista.

"Não prometemos aquilo que sabemos que não podemos cumprir"

Daniela Carrilho | há 2 semanas

Fernando Medina apresenta agora o programa macroeconómico para este ato eleitoral.

"Assegurar que mantemos neste ato eleitoral e na governação que se sucederá, prometemos tudo o que podemos cumprir, e não prometemos aquilo que sabemos que não podemos cumprir", começa por dizer.

Considerando que "há alternativa à política de austeridade imposta pela Direita", Medina fala em "mais emprego, mais rendimentos, estabilizar expectativas e dar confiança aos portugueses", assim como "apostar na transformação estrutural da economia portuguesa". Uma visão que foi vista "com tanta descrença", mas "o nosso programa funcionou" na sequência de uma "transformação de fundo", destacou Medina.

"O que está em causa nestas eleições é que sistema [de saúde] queremos"

Tomásia Sousa | há 2 semanas

António Arnaut, neto do criador do SNS, toma a palavra para abordar precisamente a área da Saúde. 

"O que está em causa nestas eleições é que sistema [de saúde] é que queremos", aponta, considerando que é preciso um acordo ao centro neste sentido.

"Sim, temos de chegar a um acordo de regime sobre o sistema que queremos", nota, atirando algumas críticas à Direita. "O PS defende um serviço nacional de saúde por inteiro".

"Vontade de renovação e espírito progressista". A visão de Pedro Nuno

Daniela Carrilho | há 2 semanas

A coordenadora do programa, Alexandra Leitão, faz a primeira intervenção do evento.

"Foi uma honra coordenar a elaboração do programa", começa por dizer, agradecendo o Pedro Nuno Santos a confiança e a todos os que fizeram parte e contribuíram para o processo de elaboração do programa.

"Foi uma contribuição de Portugal inteiro para Portugal inteiro", declara ainda, dizendo que é "um plano de ação" para o país.

"Uma visão clara, agir com determinação para resolver os problemas das pessoas, com uma estratégia global e coerente", afirma ainda Alexandra Leitão, destacando o objetivo de uma economia mais robusta e sofisticada, com estratégias de inovação para as empresas, "uma escola pública de qualidade", "uma habitação digna para todos" e "trabalhadores motivados, jovens com esperança do futuro e cidadãos mais vulneráveis sejam protegidos".

"Regionalizar, descentralizar, transição climática justa, fomentar uma agricultura moderna e financiar todo o potencial económico do mar", elenca como terceiro objetivo.

Além disso, a proposta é uma "democracia de qualidade para todos", com "mais transparência, mais proximidade e igualdade" para todos e todas.

"Os extremismos, a descriminação e o retrocesso social combatem-se com mais liberdade, igualdade, mais responsabilidade, com instituições respeitadas, com uma justiça eficiente e acessível e forças de segurança valorizadas que atuam como agentes do Estado de Direito", destaca ainda.

"Honrando o passado do PS, mas com vontade de renovação e mais espírito progressista, esta é a visão de Pedro Nuno Santos para o PS e para um Portugal inteiro. Estou certa de que ele e nós merecemos a confiança dos portugueses no dia 10 de março", conclui Leitão.

Alexandra Leitão salienta combate do PS aos extremismos

A ex-ministra Alexandra Leitão afirmou hoje que dois dos objetivos centrais do programa do PS são o reforço das instituições democráticas para combater os extremismos e defender um estado social moderno em alternativa à privatização da saúde.

Lusa | 17:56 - 11/02/2024

Acompanhe aqui as intervenções

Notícias ao Minuto | há 2 semanas

Várias personalidades do partido estão presentes no evento

Daniela Carrilho | há 2 semanas

Presentes estão alguns nomes do partido como Mariana Vieira da Silva, Francisco Assis, Marina Gonçalves, Carlos César e José Luís Carneiro, que disputou a corrida à liderança do partido com Pedro Nuno Santos.

Antes de Pedro Nuno, há outros intervenientes na apresentação do programa

Daniela Carrilho | há 2 semanas

Antes da intervenção do secretário-geral do PS, Pedro Nuno Santos, falará a coordenadora do programa, Alexandra Leitão, o neto do fundador do Serviço Nacional de Saúde, António Arnaut e ex-ministro das Finanças e candidato pelo PS às próximas eleições, Fernando Medina.

O que já se sabe...

Daniela Carrilho | há 2 semanas

IRS

Aumentar 50 euros todos os anos a despesa dedutível com encargos de arrendamento em sede de IRS;

Alargar o IRS Jovem a não licenciados;

Novas reduções do IRS ao longo da próxima legislatura;

Habitação

Extensão a jovens da classe média dos apoios ao alojamento de estudantes deslocados do Ensino Superior;

Saúde

Concretização de um programa para reforçar as equipas de psicólogos em universidades, agrupamentos escolares e centros de saúde;

Reforçar a saúde oral no Serviço Nacional de Saúde;

Valorizar a carreira médica;

Investir na modernização de equipamentos;

Educação

Aumentar os salários de entrada na profissão docente e recuperar faseadamente a totalidade do tempo de serviço congelado;

Economia

Eliminar todas as portagens nas antigas autoestradas sem custos para o utilizador (SCUT) no interior do país e no Algarve;

Alargar o desconto do IVA na eletricidade e fazer chegar a taxa de 6% aos consumos de 3,4 milhões de pessoas;

Retirar os rendimentos dos filhos das condições de acesso ao Complemento Solidário para Idosos;

Lançar um programa de apoios seletivos num número limitado de áreas estratégicas com potencial de transformação da economia;

Reformar as fontes de financiamento da Segurança Social;

Diminuir o ritmo de descida da dívida;

IRC. Reduzir em 20% as tributações autónomas sobre viaturas de serviço das empresas;

Início de cobertura

Daniela Carrilho | há 2 semanas

Boa tarde! Damos início a um acompanhamento AO MINUTO da apresentação do programa eleitoral do Partido Socialista (PS).

Recomendados para si

;
Campo obrigatório