Meteorologia

  • 25 ABRIL 2024
Tempo
13º
MIN 13º MÁX 19º

Pedro Nuno Santos discutiu rejeição à extrema-direita com Von der Leyen

O secretário-geral do PS encontrou-se hoje com a presidente da Comissão Europeia e os dois trocaram ideias sobre a crença no projeto europeu e "as ameaças da extrema-direita" e a "defesa intransigente dos valores democráticos".

Pedro Nuno Santos discutiu rejeição à extrema-direita com Von der Leyen
Notícias ao Minuto

20:42 - 31/01/24 por Lusa

Política PS

"O encontro com a presidente da Comissão Europeia, a quem agradecemos pela troca de ideias produtiva, permitiu reafirmar a nossa crença partilhada no espírito do projeto europeu, contra as ameaças da extrema-direita e pela defesa intransigente dos valores democráticos", escreveu Pedro Nuno Santos na rede social Instagram, acompanhando a publicação com uma fotografia com Ursula von der Leyen, que pertence ao Partido Popular Europeu (PPE), grupo político do centro-direita do qual também fazem parte PSD e CDS-PP.

O secretário-geral socialista participou hoje numa reunião com responsáveis socialistas europeus, em Bruxelas.

Pedro Nunos Santos elogiou o seu antecessor, António Costa, que também está em Bruxelas para participar na reunião extraordinária do Conselho Europeu, na quinta-feira, para tentar desbloquear o impasse húngaro à aprovação da revisão do quadro financeiro plurianual da União Europeia, incluindo os 50 mil milhões de euros em apoio à Ucrânia.

Na ótica do secretário-geral do PS, Costa é um dos "líderes políticos mais respeitados e admirados ao nível europeu e isso é um motivo de orgulho".

"O peso dessa responsabilidade é enorme, a consciência da realidade e que sucedo a um grande líder político em Portugal e na Europa", acrescentou.

Perante uma bancada de elementos da Aliança Progressista dos Socialistas e Democratas (S&D), no Parlamento Europeu, o líder dos socialistas portugueses rejeitou qualquer participação da extrema-direita nas decisões políticas.

"Para nós, é muito claro: quando se trata da extrema-direita, não significa não. Nada de coligações, nada de acordos parlamentares, nada de negócios ocultos nos bastidores, nada de cópias em papel da sua agenda dura", declarou.

Leia Também: Costa "será o que desejar". Pedro Nuno com primeiro-ministro em Bruxelas

Recomendados para si

;
Campo obrigatório