Meteorologia

  • 23 FEVEREIRO 2024
Tempo
11º
MIN 10º MÁX 14º

Centeno revela: "Recebi um convite do Presidente e do primeiro-ministro"

Governador do Banco de Portugal falou pela primeira vez sobre a eventual possibilidade de suceder a António Costa. "Estava muito longe de chegar a uma decisão", afirmou ao Financial Times.

Centeno revela: "Recebi um convite do Presidente e do primeiro-ministro"
Notícias ao Minuto

23:44 - 12/11/23 por Notícias ao Minuto com Lusa

País Mário Centeno

O Governador do Banco de Portugal (BdP), Mário Centeno, falou este domingo pela primeira vez sobre a eventual possibilidade de suceder a António Costa na chefia do Governo e garantiu que "estava muito longe de chegar a uma decisão". 

Mário Centeno revelou ao Financial Times que recebeu um convite do Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, e de António Costa para ponderar a possibilidade de ocupar o cargo de primeiro-ministro. 

"Recebi um convite do Presidente e do primeiro-ministro para refletir e considerar a possibilidade de liderar o Governo", afirmou à publicação, tendo ainda sublinhado que "estava muito longe de chegar a uma decisão".

Recorde-se que o convite feito ao Governador do BdP vai ser avaliado pela Comissão de Ética do Banco de Portugal, que deverá reunir-se esta segunda-feira para analisar um eventual conflito de interesse ou eventuais incompatibilidades depois de o primeiro-ministro, António Costa, ter revelado que indicou ao Presidente da República o nome do governador Mário Centeno, ex-ministro das Finanças, para o substituir no cargo como líder de um Governo PS, evitando eleições antecipadas.

Segundo o regulamento de conduta do supervisor bancário, cabe à Comissão de Ética "promover a elaboração, a aplicação, o cumprimento e a atualização do código de conduta do Banco aplicável aos membros do Conselho de Administração".

O regulamento estipula que a Comissão de Ética é composta pelo presidente e por dois vogais, nomeados pelo Conselho de Administração, por proposta do governador e do presidente do Conselho de Auditoria, de entre pessoas sem vínculo contratual ao banco e com reconhecido mérito e independência.

A reunião extraordinária da Comissão de Ética surge após as críticas dos partidos políticos ao convite a Mário Centeno.

Que disseram?

"Isto é apenas mais uma demonstração, mas bastante mais grave, da falta de independência que o governador do Banco de Portugal tem", acusou na sexta-feira o líder parlamentar do PSD, Joaquim Miranda Sarmento, em declarações aos jornalistas, no parlamento, desafiando Mário Centeno a dizer se deu a sua anuência para que o primeiro-ministro propusesse o seu nome ao Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa.

O líder parlamentar da IL, Rodrigo Saraiva, também foi crítico da solução apontada por António Costa ao chefe de Estado, considerando que o futuro político de Portugal não poderia passar por "uma solução de secretaria".

Na mesma linha, a deputada do PAN, Inês Sousa Real, deixou críticas à indicação de Mário Centeno, frisando que o partido foi sempre contra as chamadas "portas giratórias".

Por seu lado, o presidente do Chega acusou o governador de falta de independência para liderar a instituição.

Já pelo PS, o líder parlamentar, Eurico Brilhante Dias, defendeu que "qualquer português responsável" deve aceitar o desafio de ajudar o país. "Se a Mário Centeno fosse pedida a liderança de um Governo, a minha expectativa é que ele responsavelmente aceitasse. Dizer que, perante a circunstância que o país vive, não aceitaria o que é um trabalho em favor de todos não me parece responsável", considerou.

Portugal vai ter eleições legislativas antecipadas em 10 de março de 2024.

[Notícia atualizada às 00h24]

Leia Também: Costa afirma que Marcelo sabia quando falou com Centeno para ser PM

Recomendados para si

;
Campo obrigatório