Meteorologia

  • 03 MARçO 2024
Tempo
10º
MIN 9º MÁX 15º

Líder da IL diz considera números do crescimento económico "medíocres"

O presidente da Iniciativa Liberal (IL) classificou hoje como "amplamente medíocres" os números do crescimento económico e alertou que os portugueses vivem "com enormes dificuldades", defendendo uma baixa de impostos.

Líder da IL diz considera números do crescimento económico "medíocres"
Notícias ao Minuto

18:43 - 27/06/23 por Lusa

Política Iniciativa Liberal

"Os números do crescimento económico ao longo da governação do PS são amplamente medíocres, o país tem sido sucessivamente ultrapassado por países que partiram muito atrás de Portugal e, portanto, não faz muito sentido agora estar com esse tipo de discurso, que depois não tem adesão à realidade", afirmou Rui Rocha.

O líder liberal tinha sido questionado sobre declarações dos ministros da Economia e do Trabalho, durante as jornadas parlamentares do PS, que defenderam que a economia portuguesa está a registar recordes no emprego e "números avassaladores" em vários setores.

Em declarações aos jornalistas durante uma visita à Feira Internacional do Artesanato, em Lisboa, Rui Rocha afirmou que "há um crescimento económico que tem superado as expectativas, que também eram medíocres", mas mesmo assim "não chega ao bolso dos portugueses, que continuam a viver com enormes dificuldades, a ter um fim do mês cada vez mais difícil com a subida das taxas de juro, com o custo de vida a aumentar".

"Enquanto o saco de compras dos portugueses está mais vazio, os cofres do Estado estão mais cheios porque há uma cobrança absolutamente exagerada de impostos nesta altura", criticou, considerando existir um consenso entre os vários partidos sobre a necessidade da baixa de impostos, nomeadamente o IRS.

Apontando que a IL tem vindo a defender essa medida, Rui Rocha salientou que "é o momento de dar um sinal muito forte de descida dos impostos sobre o trabalho".

"Àqueles que agora se juntam a esse discurso, nós damos as boas-vindas, e esperamos para ver se de facto isso é um compromisso sério ou não", apontou, referindo que vê por parte de outros partidos "intenções pouco ambiciosas e que acabam muitas vezes por traduzir uma baixa num determinado escalão ou num determinado imposto, como o IRS, mas depois na existência das taxas e taxinhas que acabam por compensar isso".

O presidente da IL indicou também que na discussão do próximo Orçamento do Estado, o partido vai apresentar "propostas substanciais de redução dos impostos, nomeadamente dos impostos sobre o trabalho", que estão a ser preparadas.

"Aquilo que Portugal precisa é mesmo de menos impostos, mais crescimento, mais dinamismo económico, é isso que temos de promover", defendeu, considerando que é preciso "fazer mais, fazer muito melhor e ter um país que valoriza o sucesso".

"Precisamos de empresários de maior dimensão, de menor dimensão, precisamos de quem arrisca e temos que valorizar essas pessoas", acrescentou, dando como exemplo os artesãos representados na feira e a sua "capacidade de inovar e de arriscar, mantendo uma vertente tradicional dos produtos".

Leia Também: IL quer António Costa "em pessoa" na Comissão de Inquérito da TAP

Recomendados para si

;
Campo obrigatório