Meteorologia

  • 18 JULHO 2024
Tempo
30º
MIN 17º MÁX 33º

BE quer combate à "política que alimenta as desigualdades" nos Açores

O BE/Açores defendeu hoje um combate à política que alimenta as desigualdades", defendendo que a "governação falha" quando os "milhões de subsídios" aplicados ao longo dos anos "não foram nem são o garante de salários decentes".

BE quer combate à "política que alimenta as desigualdades" nos Açores
Notícias ao Minuto

12:20 - 29/05/23 por Lusa

Política BE

nosso dever fazer mais e melhor hoje. É na mudança radical da política que está a chave. É urgente mudar esta política que se alimenta e alimenta as desigualdades. A política tem de as combater. Foi para isso que se fez abril, foi para isso que se conquistou a autonomia", afirmou o líder do Bloco na região, António Lima.

O deputado regional discursava na sessão solene do Dia dos Açores, que este ano decorreu nas Lajes do Pico.

António Lima alertou que a governação da região "falha quando a pobreza atinge 25% da população" e quando o "salário mínimo é o mais praticado na economia privada".

"A governação falha quando ao longo dos anos os milhões de subsídios públicos à economia e às empresas não foram nem são o garante de salários decentes, emprego estável e igualdade de género no trabalho", criticou.

No desenvolvimento dos Açores, reconheceu, existem sempre "dificuldades no caminho", como o "centralismo endémico de certos ocupantes do Terreiro do Paço".

Contudo, salientou, "não há desculpas para que se deixe de fazer o que se sonha" para o arquipélago.

"Não há justificação para que a população desta vila [das Lajes] continue com um centro de saúde que nem para armazém serve. Não há justificação para que tanta gente sofra tanto para aceder à saúde nos Açores", disse.

O bloquista alertou ainda para a especulação dos preços das casas, que, "associada à mudança de uso das casas transformadas em alojamentos para turismo, negam o direito à habitação a tantos jovens".

"O fruto do trabalho não chega ao fim do mês para milhares de açorianos e açorianas. A solidariedade não basta. O trabalho tem de ser sinónimo de uma vida autónoma e digna", assinalou.

O Dia da Região Autónoma dos Açores foi instituído pelo parlamento açoriano em 1980, através do Decreto Regional n.º 13/80/A, de 21 de agosto, para comemorar a açorianidade e a autonomia.

A data, feriado regional, é celebrada na segunda-feira do Espírito Santo.

Na sessão solene vão ser ainda atribuídas 27 condecorações a personalidades e instituições.

Leia Também: PPM diz que Açores estão a ser "castigados" pelo Governo da República

Recomendados para si

;
Campo obrigatório