Meteorologia

  • 28 JANEIRO 2023
Tempo
MIN 4º MÁX 11º

PSD. Luís Montenegro avança com proposta de referendo à eutanásia

Esta continua a ser uma "matéria muito controversa", refere o líder do PSD.

PSD. Luís Montenegro avança com proposta de referendo à eutanásia
Notícias ao Minuto

12:12 - 05/12/22 por Marta Amorim com Lusa

Política Eutanásia

O presidente do PSD anunciou, esta segunda-feira, que o grupo parlamentar social-democrata vai entregar um projeto de resolução a pedir um referendo sobre a despenalização da eutanásia.

O anúncio foi feito por Luís Montenegro no final da reunião da Comissão permanente do partido.

"Temos no PSD uma posição que é uma tradição e que vamos manter viva, de relativamente à questão substantiva, haver liberdade total, e na questão política haver uma orientação que corresponde ao exercício da disciplina de voto", afirmou o presidente do PSD, Luís Montenegro, em conferência de imprensa, depois do anúncio.

"A nossa expectativa é que a Assembleia da República deixe a decisão final para depois da pronúncia sobre o referendo", justificou.

No entanto, o líder social-democrata frisou que haverá uma 'nuance': "Uma vez que esta matéria já foi alvo de uma discussão, com um projeto e uma pergunta diferente, nesta sessão legislativa com estes deputados, já solicitei ao presidente do grupo parlamentar que possa aferir eventuais pedidos de levantamento de disciplina de voto a deputados que tenham tido uma expressão pública de sentido diferente".

"É preciso respeitar decisões tomadas no âmbito de uma liderança anterior e que são património histórico do partido", afirmou, referindo-se à liberdade de voto dada pelo anterior presidente, Rui Rio, quanto a um projeto de referendo sobre a matéria proposto pelo Chega.

Em declarações aos jornalistas, na sede do partido, em Lisboa disse que esta continua a ser uma “matéria muito controversa”, apesar de discutida há muitos anos, e que os portugueses "não estão suficientemente esclarecidos".

“Não estamos a apresentar este projeto de resolução para fazer nenhum número político. Queremos convencer a maioria dos deputados no Parlamento a poder dar a palavra aos portugueses para decidir uma matéria cuja profundidade e impacto, sinceramente, não vejo como os deputados podem assegurar do ponto vista da representação da vontade política do povo português”, asseverou. 

Montenegro disse ainda que a título pessoal, é "tendencialmente contra", mas que tem "muitas dúvidas", e não tem medo de o dizer ao país. 

[Notícia atualizada às 12h41]

Leia Também: "Há maioria no Parlamento para ultrapassar um veto" à Eutanásia


 

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Sétimo ano consecutivo Escolha do Consumidor para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download

;
Campo obrigatório