Meteorologia

  • 17 AGOSTO 2022
Tempo
26º
MIN 17º MÁX 26º

PCP na Câmara de Lisboa não desiste de Feira Popular em Carnide

O PCP na Câmara de Lisboa defendeu hoje que a autarquia deve encontrar um espaço alternativo para a feira popular, caso desista de construir este empreendimento nos terrenos municipais junto ao Bairro Padre Cruz, em Carnide.

PCP na Câmara de Lisboa não desiste de Feira Popular em Carnide
Notícias ao Minuto

16:48 - 05/07/22 por Lusa

Política Carnide

Numa nota, o PCP na autarquia salientou ainda que, apesar do anúncio pelo presidente da Câmara Municipal de Lisboa (CML), Carlos Moedas (PSD), de que tem outros planos para os terrenos que o presidente antecessor, Fernando Medina, atribuiu a uma nova feira popular, ainda não foi apresentada formalmente na CML qualquer proposta alternativa.

O PCP manifestou disponibilidade para discutir propostas, "tendo em conta as necessidades existentes e a vontade da população", mas defendeu "que qualquer projeto diferente para os terrenos de Carnide deve ser acompanhado de uma proposta de localização alternativa para a Feira Popular".

O partido recordou que defende que a cidade deve ter um espaço de lazer ao ar livre com as características da feira popular desde o encerramento desta em Entrecampos, em 2003, por decisão de gestão do executivo liderado por Santana Lopes (PSD/CDS).

"Desde então, o PCP avançou, por duas vezes (2008 e 2015), com uma proposta concreta de localização da nova Feira Popular, junto à frente ribeirinha, numa área integrante do Plano de Urbanização da Zona Expo (área abrangida pelo Plano de Pormenor PP6 -- Parque Tejo)", indicou.

Os comunistas salientam que deram o seu aval a uma feira popular em Carnide, apesar de nem a população nem a junta terem sido envolvidas previamente na escolha do local e realçam "que o projeto então apresentado consistia numa Feira Popular de características distintas da antes existente em Entrecampos, prevendo a sua integração num Parque Urbano, que constituiria uma mais-valia para as populações locais, ao mesmo tempo que reduziria o impacto direto do equipamento sobre a população residente mais próxima.

"É inaceitável o tempo que, desde a decisão até agora, foi perdido e o estado em que se encontram aqueles terrenos, numa situação de insalubridade, abandono e perigosidade", acrescentou o PCP.

O projeto da feira popular foi anunciado em 03 de novembro de 2015 e as obras arrancaram um ano depois, com as demolições dos edifícios existentes no terreno localizado na freguesia de Carnide, para criar um parque urbano de 20 hectares.

Em março de 2021, o então presidente da Câmara de Lisboa, Fernando Medina, disse que o parque verde da futura feira popular deveria abrir "antes do verão", justificando o atraso na obra com a pandemia de covid-19 e revelando o objetivo de lançar ainda nesse mandato o concurso relativo à concessão para a operação do equipamento.

No entanto, no mesmo ano Carlos Moedas venceu as eleições para a Câmara de Lisboa e no seu programa eleitoral propunha "transformar o atual projeto da Feira Popular, para prever um novo Parque Urbano, com equipamentos de lazer e desporto, incluindo uma nova piscina exterior natural em Carnide, de grande dimensão, ambientalmente inovadora".

"Este programa de recreio e lazer qualificado será complementado por equipamentos culturais e pela reconversão da Av. Prof. Francisco da Gama Caeiro, com vista a ligar o Bairro Padre Cruz à cidade através de uma avenida urbana", acrescentava o programa que venceu a Câmara de Lisboa.

Leia Também: Odivelas surpresa com abandono do projeto da Feira Popular em Lisboa

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Sexto ano consecutivo Escolha do Consumidor e Prémio Cinco Estrelas para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download

;
Campo obrigatório