Meteorologia

  • 18 AGOSTO 2022
Tempo
17º
MIN 16º MÁX 32º

PSD de Lisboa acusa PCP de "boicotar" recolha do lixo

O PSD de Lisboa criticou hoje o PCP por ações políticas junto a um posto de Higiene Urbana da cidade, "para incentivar atrasos na recolha do lixo", mas os comunistas contestam a "indisfarçável incapacidade" da atual gestão municipal.

PSD de Lisboa acusa PCP de "boicotar" recolha do lixo
Notícias ao Minuto

20:34 - 01/07/22 por Lusa

Política Lixo

"Se já sabíamos que os sindicatos eram politicamente motivados, termos chegado ao ponto de assistir a um vereador da oposição a deslocar-se a um posto de Higiene Urbana da cidade, para incentivar atrasos na recolha do lixo, representa uma violação da ética e da dignidade políticas", afirma o presidente da concelhia de Lisboa do PSD, Luís Newton, num comunicado em que refere a "tentativa de boicote", que considera "inaceitável".

Em declarações à agência Lusa, Luís Newton disse que o vereador em causa é João Ferreira, do PCP, "que foi a um posto de Higiene Urbana e que promoveu lá uma ação política num período em que os funcionários saem para ir trabalhar", referindo que têm sido "constantes" as sessões promovidas por sindicatos e por partidos políticos, o que atrasa a recolha do lixo, numa altura em que os trabalhadores têm um pré-aviso de greve às horas extraordinárias, o que "significa que nunca chegam a completar os circuitos que estavam previstos".

O gabinete dos vereadores do PCP na Câmara de Lisboa, numa nota enviada à Lusa, defende que "por muito que custe ao PSD Lisboa - e certamente mais ainda aos lisboetas - o problema tem mesmo a ver com a indisfarçável incapacidade da atual gestão municipal", indicando que, desde a reforma administrativa, feita em 2012 por PS e PSD, com a transferência de competências do município para as juntas de freguesia, se verificam problemas com a limpeza e higiene urbana na cidade.

"Falta de operacionais e de meios, desinvestimento, descoordenação dos serviços, falta de articulação entre câmara e juntas, falta de meios das juntas de freguesia, têm marcado a realidade da cidade nos últimos anos", aponta o PCP, acrescentando que, nos últimos meses, já durante a gestão PSD-CDS, o problema tem vindo a agravar-se.

Os comunistas recordam as declarações do vereador responsável pelo pelouro da Higiene Urbana, Ângelo Pereira (PSD), que na quarta-feira, na reunião pública da câmara, disse que existe "um défice de pelo menos 170 trabalhadores nos serviços".

"À luz destas afirmações [públicas] do vereador do pelouro, a delirante explicação do PSD Lisboa, sobre um alegado boicote da oposição que justificaria a incapacidade da atual gestão neste domínio, não soa nada menos do que ridícula", critica o PCP.

Contudo, para o presidente da concelhia de Lisboa do PSD, o acumular de lixo nas ruas da cidade não resulta "por inação" do presidente da câmara, o social-democrata Carlos Moedas, "mas sim porque os sindicatos e a esquerda impedem os funcionários de saírem às ruas para fazerem a recolha do lixo".

Luís Newton reforçou que as ações realizadas junto dos trabalhadores da Higiene Urbana "nada mais são do que comícios e de verdadeiros bloqueios" ao normal funcionamento da recolha de lixo, acrescentando que há relatos que apontam para o envolvimento de outras forças públicas, mas ainda por confirmar.

"Vemos a cidade de Lisboa cada vez mais suja e isto tem de ser denunciado, porque isto é concertado. O objetivo é contribuir para criar uma imagem de sujidade, criando esta ideia de que agora com Carlos Moedas o lixo não se recolhe", declarou o social-democrata, sublinhando que não houve nenhuma alteração do modelo operacional por parte do atual executivo camarário que justifique a quantidade de lixo que se vê nas ruas, situação que "não acontecia no passado".

O presidente da concelhia do PSD ressalvou que os trabalhadores têm direito à greve e à realização de plenários, mas "quando o fazem de forma sistemática estão, claramente, a promover o mau funcionamento dos serviços", salientando que o problema de recolha do lixo põe em causa a saúde pública e que a ação partidária não se pode sobrepor.

Na quarta-feira, o vereador da Higiene Urbana na Câmara de Lisboa assumiu "algumas falhas" na recolha do lixo nas últimas semanas, nomeadamente devido ao défice de funcionários, e anunciou a contratação de mais 160 trabalhadores em julho.

Leia Também: Câmara de Lisboa admite "algumas falhas" na recolha do lixo

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Sexto ano consecutivo Escolha do Consumidor e Prémio Cinco Estrelas para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download

;
Campo obrigatório