Meteorologia

  • 08 AGOSTO 2022
Tempo
18º
MIN 16º MÁX 27º

Erro? PNS "sabia muito bem que estava a afrontar o primeiro-ministro"

Eurodeputado do PSD acusa o ministro das Infraestruturas de ter mentido e de saber "muito bem o que estava a fazer".

Erro? PNS "sabia muito bem que estava a afrontar o primeiro-ministro"
Notícias ao Minuto

08:50 - 01/07/22 por Notícias ao Minuto

Política Paulo Rangel

O eurodeputado do PSD, Paulo Rangel, reagiu na quinta-feira à noite a toda a polémica que envolveu o ministro das Infraestruturas Pedro Nuno Santos, o primeiro-ministro António Costa e o infame plano do aeroporto anunciado pelo ministro no dia 29 de junho. 

Em declarações proferidas no Jornal das 7 da SIC Notícias, Paulo Rangel é perentório ao sublinhar que isto "não foi um erro de comunicação", como fez crer António Costa, e que Pedro Nuno Santos sabia o que estava a fazer. 

Rangel começa por apontar o início da polémica que tinha dois pontos de "perplexidade". "O Governo anunciou uma solução para o aeroporto como se fosse do Governo. Ontem [dia 29 de junho] toda a tarde recebemos informação sobre a solução que teria sido tomada com duas matérias para perplexidade: a primeira é que desmentia completamente o que o primeiro-ministro tinha dito, que era aguardar pela nova liderança da oposição para fazer um processo de consultas e encontrar uma solução que vários partidos pudessem partilhar, e segundo ele [António Costa] estava no estrangeiro". 

O eurodeputado não é parco nas palavras e frisa que Pedro Nuno Santos foi premeditado nas suas ações e mentiu. "Quando faz aquele despacho, e faz todo o exercício de comunicação do despacho, aliás, dizendo expressamente e, portanto, mentido, que falava em nome do Governo, ele sabia muito bem que estava a afrontar o primeiro-ministro", realçou o antigo deputado da Assembleia da República. 

Rangel detalha ainda que, após Costa revogar o despacho, desautorizando o ministro, e tendo afirmando que "o líder da oposição tinha de ser consultado e o Presidente da República tinha de ser envolvido", seria de esperar que houvesse alguma consequência, no entanto, tal não aconteceu. 

"Não acontece nada?", questiona acrescentando que "estamos todos na mesma".

"Isto não foi um erro, foi um desafio ao primeiro-ministro"

António Costa disse ontem, após toda a polémica, que "obviamente foi cometido um erro grave", mas "felizmente, prontamente corrigido".

Rangel nega que se tenha tratado de um erro. "Isto não foi um erro, foi um desafio ao primeiro-ministro", frisou. 

"O ministro Pedro Nuno Santos não teve um erro de comunicação, ninguém apresenta um plano para um aeroporto, para as próximas décadas, como um erro de comunicação", acrescentou ainda. 

Nas redes sociais, após as declarações dadas na estação de Paço de Arcos, o eurodeputado voltou a criticar a decisão do primeiro-ministro acusando todo o enredo de "desgoverno ostensivo". 

"Quando um Ministro não se demite nem é demitido nestas circunstâncias, há uma clara anomalia institucional. O interesse nacional não pode ser um joguete nas guerras internas do PS", escreveu na rede social Twitter. 

Recorde-se que Pedro Nuno Santos sobreviveu ontem a toda a polémica, mantendo-se no Governo. Costa reforçou que é preciso uma "decisão sólida" em relação ao aeroporto e admitiu que não conhecia o despacho. Por outro lado, manifestou a "certeza" de que "o ministro das Infraestruturas não agiu de má fé, teve humildade".

O outro protagonista do imbróglio, Pedro Nuno Santos, assumiu publicamente, em declarações aos jornalistas, a "inteira responsabilidade" por toda a situação, alegando ter sido "fruto de problemas de comunicação e de coordenação".

Leia Também: Ministro Pedro Nuno Santos sobrevive a polémica e fica no Governo

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Sexto ano consecutivo Escolha do Consumidor e Prémio Cinco Estrelas para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download

;
Campo obrigatório