Meteorologia

  • 02 JULHO 2022
Tempo
30º
MIN 15º MÁX 32º

Bloco diz que não é aceitável "sequestro de um primeiro-ministro"

O líder parlamentar do BE, Pedro Filipe Soares, considerou hoje não fazer sentido que a tomada de posse do Governo seja "o dia de sequestro de um primeiro-ministro" no executivo, numa alusão ao aviso do Presidente da República.

Bloco diz que não é aceitável "sequestro de um primeiro-ministro"
Notícias ao Minuto

20:45 - 30/03/22 por Lusa

Política Governo

"Hoje é o dia de tomada de posse do Governo. Não nos parece que seja aceitável considerar que é o dia de sequestro de um primeiro-ministro num Governo. Acho que não faz sentido", respondeu aos jornalistas Pedro Filipe Soares quando questionado sobre este aviso deixado pelo Presidente da República após a posse, falando à saída da cerimónia que decorreu hoje no Palácio da Ajuda, em Lisboa.

Marcelo Rebelo de Sousa tinha avisado o primeiro-ministro, António Costa, que será difícil a sua substituição a meio da legislatura, defendendo que os portugueses "deram a maioria absoluta a um partido, mas também a um homem".

Na opinião do dirigente bloquista, "o primeiro-ministro não pode ter desculpas para não cumprir o seu mandato e não pode ter desculpas para não o cumprir de forma a responder aos problemas essenciais do país".

"A relação entre o Governo e o Presidente da República ao Governo e ao Presidente da República diz respeito. Não nos parece é que inaugurar o modelo de um primeiro-ministro sequestrado no dia de tomada de posse faça sentido e esperemos que o primeiro-ministro não use disso uma desculpa para não cumprir o seu mandato", respondeu, perante a insistência dos jornalistas.

De acordo com Pedro Filipe Soares, António Costa "tem uma maioria absoluta" -- "aquilo que pediu", acrescentou -- e o que o BE espera "é que tenha a capacidade de responder ao que não respondeu até agora" como o reforço dos serviços públicos, a melhoria dos salários, "mas também aos novos desafios que a guerra traz" como o aumento dos preços, "o que isso significa nas pensões e nos salários já baixos do nosso país".

"A todos estes desafios o Governo tem de dizer presente. Sem desculpas, sem 'mas' e sem um primeiro-ministro que não está sequestrado", insistiu.

Prometendo "uma oposição construtiva, forte e que não lhe dará essa desculpa para não cumprir perante o país", o líder parlamentar do BE apontou uma falha no discurso de António Costa naquilo que às prioridades para o país diz respeito.

"Faltou uma questão fundamental neste momento que é, face ao aumento dos preços galopante, não há nenhuma resposta para os mais fragilizados economicamente da nossa sociedade. É uma falha que é grande", criticou.

Para Pedro Filipe Soares, quando o primeiro-ministro "diz que vai apresentar o mesmo programa de Governo com que foi a eleições, parece que não houve uma guerra pelo meio, parece que não há uma inflação galopante no imediato".

Leia Também: "Portugal deve eliminar da sua legislação os 'vistos gold'", argumenta BE

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Sexto ano consecutivo Escolha do Consumidor e Prémio Cinco Estrelas para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download

;
Campo obrigatório