Meteorologia

  • 28 JANEIRO 2022
Tempo
13º
MIN 9º MÁX 17º

Edição

Madeira elege seis deputados em círculo com mais de 256 mil recenseados

Dezasseis forças políticas concorrem às eleições legislativas de 30 de janeiro pelo círculo da Região Autónoma da Madeira, que elege seis deputados à Assembleia da República, onde atualmente têm assento três representantes do PSD e três do PS.

Madeira elege seis deputados em círculo com mais de 256 mil recenseados
Notícias ao Minuto

09:57 - 14/01/22 por Lusa

Política Legislativas

De acordo com a Comissão Nacional de Eleições (CNE), estão inscritos 256.463 eleitores e as candidaturas admitidas surgem por esta ordem no boletim de voto: Movimento Alternativa Socialista (MAS), MPT -- Partido da Terra, JPP, Alternativa Democrática Nacional (ADN), PSD/CDS-PP, PTP, RIR, Ergue-te, Bloco de Esquerda, CDU (coligação PCP/PEV), Iniciativa Liberal, PS, Livre, PPM, PAN e Chega.

Os seis lugares em São Bento são atualmente ocupados por três deputados do PSD e outros três do PS, partidos que sempre elegeram representantes pelo círculo da Madeira.

O PSD, que liderou a região autónoma com maioria absoluta até 2019, ano em que estabeleceu uma coligação governativa pós-eleitoral com o CDS-PP, venceu todas as eleições para a Assembleia da República, seguido sempre pelo PS.

Em 2015, o Bloco de Esquerda elegeu pela primeira vez um deputado pelo círculo da Madeira, numas legislativas em que o PSD colocou em São Bento três representantes e o PS dois.

Nas eleições nacionais de 1976, o CDS elegeu um deputado e, nas 2009 e de 2011, voltou a ter um representante na Assembleia da República. Nestas legislaturas, o PSD ficou com quatro parlamentares e o PS com um.

De acordo com o Censos 2021, o arquipélago da Madeira tem 250.769 habitantes (menos 6,6% face a 2011), distribuídos por 11 concelhos e 54 freguesias, mas o número de eleitores inscritos é de 256.463, número inferior ao das legislativas de 2019 (257.907).

Nesse ano, concorreram 20 forças políticas e exerceram o direito de voto 129.821 eleitores (50,34%), sendo que o PSD foi partido mais votado (37,15% - 48.231 votos), seguido do PS (33,41% - 43.373 votos).

Em 30 de janeiro, os eleitores madeirenses voltam às urnas para eleger novamente seis representantes entre 16 forças políticas.

A lista da coligação PSD/CDS-PP, designada Madeira Primeiro, é encabeçada por Sérgio Marques, atual deputado na Assembleia da República, sendo que o candidato centrista, Gonçalo Nuno Santos, surge em quinto lugar.

O Partido Socialista também apresenta o atual deputado Carlos Pereira como cabeça de lista.

O Juntos Pelo Povo (JPP), partido que tem três deputados no parlamento madeirense, avança com o líder, Élvio Sousa, à cabeça da lista, ao passo que a CDU, também representada na Assembleia Regional com um deputado eleito pelo PCP, apresenta Herlanda Amado em número um.

Os outros cabeças de lista são António Grosso (MAS), Valter Rodrigues (MPT), Filipe Rebelo (ADN), José Manuel Coelho (PTP), Liana Reis (RIR), Ana Braz Gonçalves (Ergue-te), Maria Luísa Marques (BE), Duarte Gouveia (Iniciativa Liberal), Tiago Camacho (Livre), Paulo Brito (PPM), Joaquim Sousa (PAN) e Martinho Gouveia (Chega).

A Região Autónoma da Madeira é formada por duas ilhas habitadas -- Madeira e Porto Santo -- e por dois subarquipélagos com estatuto de reserva natural: as Desertas, localizadas a cerca de 40 quilómetros do Funchal, e as Selvagens, a 300 quilómetros a sul da capital madeirense.

Os concelhos da costa sul da Madeira são os mais populosos, nomeadamente Funchal (105.795 habitantes) e Santa Cruz (42.171 habitantes), ao passo que os três municípios da costa norte registam baixa densidade populacional, sendo Porto Moniz o menos povoado -- 2.517 habitantes.

Na ilha e concelho do Porto Santo vivem 5.151 pessoas.

Os setores do turismo e da construção civil são predominantes na Madeira, também marcada pelo Centro Internacional de Negócios (CINM), conhecido por Zona Franca, responsável por cerca de 13% do total da receita fiscal da região.

Em termos políticos, o PSD liderou o Governo Regional com maioria absoluta entre 1976 e 2019, ano em que ficou em minoria na Assembleia Legislativa, ao eleger 21 deputados num total de 47, o que motivou uma coligação com o CDS-PP (três deputados).

No parlamento madeirense estão também representados o PS (19 deputados), o JPP (três deputados) e o PCP (um deputado).

Leia Também: Setúbal: PS renova aposta em Ana Catarina Mendes após vitória de 2019

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Sexto ano consecutivo Escolha do Consumidor e Prémio Cinco Estrelas para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download

;
Campo obrigatório