Meteorologia

  • 02 DEZEMBRO 2021
Tempo
15º
MIN 10º MÁX 15º

Edição

Longa se tornou a espera mas Bloco de Esquerda elegeu vereador no Porto

Foi preciso esperar mais de sete horas pela confirmação, entre as primeiras projeções televisivas e os resultados oficiais, mas o Bloco de Esquerda elegeu pela primeira vez um vereador no Porto, o sociólogo Sérgio Aires.

Longa se tornou a espera mas Bloco de Esquerda elegeu vereador no Porto
Notícias ao Minuto

07:48 - 27/09/21 por Lusa

Política Autárquicas

Aos 52 anos, deu ao Bloco o que o partido esperava há 22 anos: um vereador no Porto, no Norte, no que foi "um dia histórico" para os bloquistas na cidade, disse o próprio candidato.

Até lá chegar, foi uma longa noite, e madrugada, de festejo de cada um dos deputados de junta, um a um, de cada votação auspiciosa, com o primeiro prémio em mente, de uma sede de campanha, na Galeria Geraldes da Silva, em que perto das cinco da manhã se notava o cansaço -- e a felicidade.

De acordo com os resultados finais, o Bloco de Esquerda regista 6,25% dos votos, atrás de Rui Moreira (40,72%), do PS (18,02%), do PSD (17,25%) e da CDU (7,51%).

O presidente de câmara reeleito consegue seis mandatos, contra três do Partido Socialista, dois do PSD, um da CDU e um do recém-entrado partido no executivo municipal.

Os resultados vão 'caindo', os novos deputados vão dizendo breves palavras no púlpito, são muitas as piadas e os cânticos, mas o 'roer de unhas' mantinha-se, adensava-se.

"Estás a chorar?", perguntava Patrícia Martins, uma das eleitas, ao seu companheiro para os próximos quatro anos, Filipe Gaspar, na junta do Bonfim, por telefone. Querem "agitar" a freguesia.

A eleição de deputados municipais em concelhos da Área Metropolitana do Porto, aqui e ali uma Almada ou Lisboa, iam sendo festejados, e a certo ponto evoca-se Valentim Loureiro.

À notícia de mais eleitos em Gondomar, são os gritos por essa cidade que dominam a sede, seguido de "Guterres, Guterres", aludindo à famosa 'gafe' do major, antigo autarca daquele concelho.

As horas foram passando, e os apoiantes foram esperando, ouvindo discursos de líderes políticos, de Jerónimo de Sousa (CDU) à 'sua' Catarina Martins, mas também de Rui Rio (PSD) e António Costa (PS), além da concessão de derrota do socialista Fernando Medina em Lisboa, com maior ou menor disciplina ao longo dos momentos.

As conversas revelavam "prudência", de um lado, ou apregoavam o "pragmatismo" do partido, que foi celebrando um a um os deputados eleitos, à medida que eram confirmados, 'fugindo' a uma alegria que se ia adivinhando com o avançar da madrugada.

Uma alegria que se estendeu, sem a mesma euforia, à perda de maioria absoluta de Rui Moreira na cidade, com "que grande lata!" gritado, além de risos, quando o autarca reeleito se referiu à vitória em Campanhã, freguesia conquistada pelo PS mas que lhe 'deu' a vitória nos resultados para o executivo concelhio.

"Vais embora em dezembro!", atirou alguém à televisão, aludindo à possibilidade de Moreira perder o mandato devido ao caso Selminho.

Eleitos que estavam mais dois deputados para a junta do Centro Histórico, entre eles o mandatário Mário Moutinho e também Teresa Martins, 'teimava' em não sair a confirmação do lugar de vereação, mas superavam já os oito conseguidos em 2017.

No Centro Histórico, que precedeu o drama final em Lordelo do Ouro e Massarelos, Mário Moutinho, o mandatário, segue na assembleia de freguesia e lembrou logo que, perante tão longa noite, o que "anima é o que se faz a partir de segunda-feira", continuar o trabalho e estar "com uma ligação permanente à população, olhos nos olhos".

"Há coisas que não gosto de dizer, mas tenho de dizer: o Chega não foi eleito", lançou ainda.

Longa se tornava a espera, para lá das 03:00, e a impaciência ia partilhando o leme com o entusiasmo. Às 04:16, o grito: "É Sérgio, é Aires, é Sérgio Aires", e de rompante se levantaram as bandeiras do partido.

O champanhe foi desarrolhado como se a espera não fosse de mais de sete horas, e as vozes denotavam uma força que quase apagava o cansaço, mas ele ficou patente quer no curto discurso quer na rápida desmobilização da maior parte das cerca de duas dezenas de resistentes.

Com o tão procurado lugar no executivo municipal garantido, até a "tensão muito grande" e a longa espera são relativizadas, como explicou o candidato à Lusa. "Quando a minha filha nasceu, há 21 anos, foi bem mais difícil", atirou.

Leia Também: Bloco aguarda por "veredicto final que foi o voto do povo"

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Quinto ano consecutivo Escolha do Consumidor para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório