Meteorologia

  • 07 DEZEMBRO 2021
Tempo
16º
MIN 13º MÁX 17º

Edição

Alívio de medidas era esperado caso "tudo corresse bem"

A coordenadora bloquista, Catarina Martins, considerou que o avanço no desconfinamento hoje anunciado era o que se esperava caso tudo corresse bem, defendendo que vai ser preciso "muita pedagogia" e apoio ao Serviço Nacional de Saúde nesta nova fase.

Alívio de medidas era esperado caso "tudo corresse bem"
Notícias ao Minuto

19:51 - 23/09/21 por Lusa

Política Covid-19

No final de uma arruada da campanha autárquica em Lisboa, Catarina Martins foi de novo questionada sobre o alívio das restrições devido à pandemia hoje decididas pelo Governo, reiterando que a troca de acusações sobre eleitoralismo no timing destas medidas "é uma conversa que não interessa a ninguém".

"O que interessa é saber se o país está a conseguir ter uma vacinação eficaz, se as vacinas funcionam, se as pessoas aderem às vacinas e se podemos avançar para o desconfinamento", afirmou, depois de, da parte da manhã, ter considerado um erro fazer um "braço de ferro eleitoral" sobre a pandemia.

As medidas anunciadas pelo primeiro-ministro, António Costa, de acordo com a líder do BE, "não são novidade" uma vez que "é o que se esperava se corresse tudo bem".

"Claro que há ainda cuidados que devem ser tidos, vai ser preciso muita pedagogia sobre o significa também esta fase de desconfinamento, é preciso apoiar muito o SNS, os seus profissionais que estão exaustos, a sua capacidade de retomar os cuidados não covid", advertiu.

No entanto, para Catarina Martins há um sentimento de "um imenso orgulho num país em que a população aderiu à vacinação e foi responsável", para além de elogiar um "SNS que tem esta relação de confiança com a população e esta capacidade incrível no terreno de ter dado a toda a gente, de forma gratuita e em todo o país, a vacina de que precisavam".

O primeiro-ministro anunciou hoje que o país está "em condições de avançar" para a terceira e última fase do desconfinamento e adiantou que, na próxima semana, deverá ser atingida a meta de 85% da população com a vacinação completa.

Durante a conferência de imprensa, António Costa recusou as críticas de eleitoralismo pelo anúncio do alívio de restrições por causa da covid-19 a três dias das eleições autárquicas, contrapondo que as medidas agora anunciadas foram calendarizadas em 29 de julho.

Leia Também: RTP, SIC e TVI com emissões especiais para autárquicas

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Quinto ano consecutivo Escolha do Consumidor para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

;
Campo obrigatório