Meteorologia

  • 18 OUTUBRO 2021
Tempo
18º
MIN 18º MÁX 27º

Edição

"Lição exemplar" de Costa à Galp? "Mais vale tarde do que nunca"

Ana Gomes analisou as declarações do primeiro-ministro, feitas durante um comício, no domingo, sobre o encerramento da refinaria de Matosinhos.

"Lição exemplar" de Costa à Galp? "Mais vale tarde do que nunca"

A socialista Ana Gomes elogiou as declarações de António Costa sobre o encerramento da refinaria da Galp em Matosinhos, feitas no passado domingo, durante um comício nesta cidade do distrito do Porto.

Para a antiga eurodeputada, a “lição extraordinária” do primeiro-ministro, como descreveu no Twitter, só peca por tardia, pois só chegou nove meses depois do despedimento coletivo feito pela empresa.

“Sobre a intervenção (a “lição exemplar”) que o primeiro-ministro prometeu à Galp pelo brutal encerramento da refinaria em Matosinhos mais vale tarde do que nunca”, começou por escrever, acrescentando, contudo, que fica agora à espera “de ver o Governo (ministro da Economia?) reagir”. 

Pois para Ana Gomes é necessário ver “atos”, “não basta falar”.

Já na SIC Notícias, no seu espaço de comentário político habitual, nas noites de domingo, a antiga candidata à Presidência da República, tinha defendido o mesmo.

“Ainda hoje vimos o primeiro-ministro e bem a chamar a atenção para o desaforo, desatino que foi a intervenção na Galp, fechando a central de Matosinhos sem alternativas e com tremendas consequências. É este tipo de intervenção que, enfim, já podia ter sido feita há mais tempo, mas mais vale tarde do que nunca”, salientou.

Recorde-se que António Costa fez duras críticas à Galp pelo despedimento coletivo na refinaria de Matosinhos, no passado domingo, durante um comício nesta cidade nortenha.

Entre outras acusações, o secretário-geral do PS afirmou que “era difícil imaginar tanta asneira e disparate” e tanta “falta de consciência social e irresponsabilidade” por parte da Galp, prometendo uma “lição exemplar” para a empresa que despediu 1.600 trabalhadores no dia 20 de dezembro, cinco dias antes do Natal.

Recorde-se que, apesar de o anúncio do despedimento coletivo ter sido feito há nove meses, a Galp só desligou a última unidade de produção da refinaria de Matosinhos a 30 de abril deste ano, na sequência da decisão de concentrar as operações em Sines.

Leia Também: Costa promete "lição exemplar" à Galp depois de "disparate" em Matosinhos

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Quinto ano consecutivo Escolha do Consumidor para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório