Meteorologia

  • 20 OUTUBRO 2021
Tempo
21º
MIN 16º MÁX 26º

Edição

PAN é o único partido que defende Monsanto, diz candidata

A candidata do PAN à câmara de Lisboa disse hoje que o partido é único que defende Monsanto, "uma joia" da cidade onde viu "clareiras de árvores abatidas" durante um passeio conduzido por moradores de São Domingos de Benfica.

PAN é o único partido que defende Monsanto, diz candidata
Notícias ao Minuto

22:35 - 21/09/21 por Lusa

Política Manuela Gonzaga

"Aqui há clareiras de árvores abatidas, a população não é avisada de quantas árvores, porquê, qual era o seu problema. Vemos um parque que era densamente arborizado e está cheio de clareiras, nós não queremos pactuar, não aceitamos que este parque ceda espaço ao betão", disse Manuela Gonzaga à Lusa, que se candidata pelo Pessoas-Animais-Natureza à presidência da câmara de Lisboa nas eleições do próximo domingo.

Os moradores, que estão a constituir-se na Associação de Residentes de São Domingos de Benfica, levaram a comitiva do PAN ao longo de um percurso no Parque Florestal de Monsanto onde foram recentemente abatidas árvores, admitindo um dos elementos do grupo (Bruno Partidário) que "pode até haver uma razão científica" para o corte, "mas não informam", ao contrário do que acontece quando há uma obra "num prédio e é colocado um cartaz na fachada".

"Achamos que esta opacidade, de que eu tenho falado em toda a campanha, não serve os lisboetas, é uma forma de governar de costas voltadas contra a população e de uma forma autocrática e que não é admissível", disse Manuela Gonzaga.

No rol de queixas do grupo esteve também a aparente diminuição da vigilância, que prejudica "a segurança das pessoas" e a "preservação do parque", que, segundo garantiram, voltou a ter lixo, prostituição e tráfico de droga em algumas zonas.

"O betão que nunca mais acaba" e que está a invadir o parque, diminuindo-lhe a área, foi outra das queixas dos moradores, que exemplificaram com as atividades que cada vez mais há em Monsanto ou uma ciclovia que "roubou quilómetros" de arvoredo quando poderia ser uma "via partilhada" com os carros que passam mesmo ao lado.

"Connosco, Monsanto será defendido, nem uma árvore a menos, será rearborizado", disse Manuela Gonzaga, que sublinhou que o parque florestal, como o rio Tejo, "é uma joia de Lisboa" e "Lisboa precisa de mais árvores, precisa de mais resistência, de mais resiliência" para enfrentar as alterações climáticas.

Para a candidata do PAN, "não há a necessária defesa que um parque destes merece", por parte da sociedade civil, "mas também das autoridades".

"E não há patrulhamentos, não há avisos, não vejo avisos em lado nenhum a dizer que é proibido fazer fogo", disse Manuela Gonzaga.

No programa eleitoral que apresentou para Lisboa, o PAN propõe mais vigilância e mais policiamento florestal para Monsanto, a ampliação da área do parque e novos corredores ecológicos sobre a autoestrada que liga Lisboa a Cascais (A5) ou de ligação a concelhos vizinhos, entre outras medidas.

"O PAN é o único partido a defender Monsanto, é o único partido a chamar a atenção sobre as alterações climáticas, não só sobre os riscos e os perigos [...], mas também sobre o que poderemos fazer e devemos fazer para os atenuar", considerou Manuela Gonzaga.

Neste percurso por Monsanto, os cicerones do passeio aproveitaram para lamentar a falta da "prometida" esquadra na freguesia de São Domingos de Benfica e que continue fechado o centro de saúde inaugurado em julho no Alto dos Moinhos pela ministra da Saúde.

Solidarizando-se com as diversas queixas, Manuela Gonzaga afirmou que "também é bom que as pessoas percebam que o voto útil não é votar nos mesmos", mas "aceitar propostas que são úteis", "fiáveis" e que "servem o bem comum".

Além de Manuela Gonzaga, concorrem à Câmara de Lisboa, atualmente governada pelo PS, Fernando Medina (PS/Livre), Carlos Moedas (PSD/CDS-PP/PPM/MPT/Aliança), João Ferreira (CDU -- PCP/PEV), Beatriz Gomes Dias (BE), Bruno Horta Soares (IL), Tiago Matos Gomes (Volt Portugal), Nuno Graciano (Chega), João Patrocínio (Ergue-te), Bruno Fialho (PDR), Sofia Afonso Ferreira (Nós, Cidadãos!) e Ossanda Liber (movimento Somos Todos Lisboa).

MP // VAM

Lusa/Fim

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Quinto ano consecutivo Escolha do Consumidor para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório