Meteorologia

  • 27 OUTUBRO 2021
Tempo
21º
MIN 14º MÁX 25º

Edição

Barbosa Ribeiro diz que sala de consumo foi decisão eleitoralista

O candidato do PS à presidência da Câmara do Porto, Tiago Barbosa Ribeiro, disse hoje que a criação da sala de consumo assistido de droga, anunciada para setembro, não foi uma decisão tardia de Rui Moreira, mas uma decisão "eleitoralista".

Barbosa Ribeiro diz que sala de consumo foi decisão eleitoralista
Notícias ao Minuto

22:26 - 18/09/21 por Lusa

Política Autárquicas

"A sala de consumo assistido não é uma decisão tardia, é uma decisão eleitoralista, porque a Câmara Municipal do Porto adiou o problema durante muitos anos, ignorou o problema durante meses e meses, e vemos que anunciou a criação de uma sala de consumo assistido para setembro. Certamente não terá nada a ver com as eleições autárquicas, porque nós ainda teremos 15 dias até ao final do mês de setembro para ver a execução dessa sala de consumo assistido", ironizou.

Acompanhado, entre outros, pelo dirigente socialista e secretário de Estado dos Assuntos Parlamentares, Duarte Cordeiro, Tiago Barbosa Ribeiro esteve hoje numa ação de campanha na zona de Francos, freguesia de Ramalde.

Expectante quanto ao modelo de concretização da sala de consumo assistido, o candidato socialista criticou ainda a forma como a autarquia liderada pelo independente Rui Moreira auscultou associações e instituições, salientando que a decisão "não foi especialmente dialogada".

"É muito importante que este tipo de processos sejam feitos com quem está no terreno. (...) Não se pode fazer isto contra as pessoas e é isso que tem acontecido, neste e noutros temas, por parte deste executivo municipal", disse.

Tiago Barbosa Ribeiro disse ainda ver nos conselhos municipais de segurança um instrumento importante no combate ao tráfico de droga e defendeu a necessidade de estabelecer contratos locais de segurança com autoridades policiais e outras.

Por outro lado, o socialista considerou que a Câmara do Porto deve "reclamar", no âmbito do processo de descentralização, competências também na área de segurança.

"É importante que as populações dos bairros não sejam esquecidas e que não se transformem em guetos, onde o tráfico de droga prospere", observou.

Reconhecendo o Porto como uma cidade segura, Tiago Barbosa Ribeiro considerou que os problemas de tráfico de droga com que hoje a cidade se depara resultaram "especialmente, embora não exclusivamente, da forma como foi feita, em primeiro lugar, a demolição e depois o realojamento de algumas pessoas do Aleixo", sem acompanhamento e ignorando o problema que "era evidente do tráfico de droga".

A exemplo do que aconteceu com o São João de Deus, o problema, acrescentou, acabou por alastrar-se a vários bairros, "nomeadamente Pinheiro Torres, Pasteleira Nova, mas também em Ramalde, em Campanhã e noutros bairros da cidade".

Confrontado com as declarações do atual presidente da autarquia portuense e candidato independente Rui Moreira, que afirmou hoje que o candidato do PS estava a "falar para dentro do partido" quando disse que não seria "muleta" do movimento, Tiago Barbosa Ribeiro disse não saber a que recado interno Moreira se referiu e voltou a acusar a candidatura do autarca de "baixar o nível" por conta de "algum nervosismo".

Concorrem à Câmara do Porto Rui Moreira (movimento independente "Rui Moreira: Aqui há Porto" -- apoiado por apoiado por IL, CDS, Nós Cidadãos, MAIS -, Tiago Barbosa Ribeiro (PS), Vladimiro feliz (PSD), Ilda Figueiredo (CDU), Sérgio Aires (BE), Bebiana Cunha (PAN), António Fonseca (Chega), Diogo Araújo Dantas (PPM), André Eira (Volt Portugal), Bruno Rebelo (Ergue-te), Diamantino Raposinho (Livre).

Leia Também: Sala de consumo de drogas abre em setembro na zona de Serralves

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Quinto ano consecutivo Escolha do Consumidor para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório