Meteorologia

  • 28 SETEMBRO 2021
Tempo
17º
MIN 16º MÁX 23º

Edição

PPM quer arrendamento acessível e apoio à compra de casa no Porto

O candidato do PPM à presidência da Câmara Municipal do Porto defendeu hoje que a habitação no município não deve ser "uma União Soviética", mas deve garantir arrendamento "realmente acessível" e apoiar os jovens na compra da habitação.

PPM quer arrendamento acessível e apoio à compra de casa no Porto
Notícias ao Minuto

17:24 - 15/09/21 por Lusa

Política Autárquicas

Diogo Araújo Dantas frisou a importância do direito à habitação, ressalvando que não quer "que uma seja uma União Soviética dos anos 60, e que toda a gente seja inquilina da Câmara (...), mas que, acima de tudo, também não seja para fazer o 'shopping centre' que se está a fazer na cidade do Porto e que, no fundo, apenas acalenta os interesses estrangeiros".

O cabeça-de-lista do Partido Popular Monárquico, que falava hoje à Lusa à margem de uma visita à Secção Regional Norte da Ordem dos Arquitetos, referiu ainda que "o Porto tem uma população muito envelhecida" e que "é preciso que os jovens voltem" à cidade.

A solução apontada é garantir um arrendamento "realmente acessível, não é o arrendamento acessível que tanto o Governo como a câmara têm colocado", cujos "preços são absolutamente deslocados do salário", considera.

No mesmo âmbito, sugere "apoios à compra, que hoje não é tão fácil como era há 15, 20 anos", que se materializariam na criação de um gabinete de apoio, que ajudasse a "fazer a gestão pessoal das finanças, tratar das burocracias, tudo o que daí advém", esclareceu.

Para contrariar os "interesses estrangeiros", devem ser dadas "ajudas diretas à deslocalização do Alojamento Local", que "pode perfeitamente estar na periferia, já que há tantos hotéis a cada esquina no Porto", afirmou, defendendo que essas casas sejam alocadas a habitação.

Apesar de não gostar "muito que haja limitações ao mercado", por achar que "devem ser feitas em condições absolutamente excecionais", o candidato autárquico admitiu que se vive uma situação excecional e propôs, ainda, uma "ajuda a um custo que é fixo, e um dos maiores em termos de comércio, que é a renda", para comerciantes locais.

Para além de Diogo Araújo Dantas, pelo PPM, à presidência da Câmara do Porto foram também apresentadas as candidaturas de Ilda Figueiredo (CDU), Vladimiro Feliz (PSD), Sérgio Aires (BE), André Eira (Volt Portugal), Bebiana Cunha (PAN), Tiago Barbosa Ribeiro (PS), António Fonseca (Chega), Bruno Rebelo (Ergue-te), Diamantino Raposinho (Livre) e do independente Rui Moreira.

A Câmara do Porto é liderada por Rui Moreira, cujo movimento elegeu sete mandatos nas autárquicas de 2017, aos quais se somam quatro eleitos do PS, um do PSD e um da CDU.

As eleições autárquicas estão marcadas para 26 de setembro.

Leia Também: PSD/Porto apresenta queixa na CNE contra carta de Moreira

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Quinto ano consecutivo Escolha do Consumidor para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório