Meteorologia

  • 11 ABRIL 2021
Tempo
15º
MIN 11º MÁX 21º

Edição

"Castração política do PSD"? "Não conseguiram"

David Justino desvalorizou as declarações polémicas da advogada, agora candidata pelo partido na próxima corrida às urnas, e acusou o "'main stream'" de tentar interferir na ação do PSD.

"Castração política do PSD"? "Não conseguiram"

O vice-presidente do PSD, David Justino, saiu, esta quarta-feira, em defesa de Suzana Garcia, momentos após o partido ter formalizado a candidatura da advogada à Câmara Municipal da Amadora, para as próximas eleições autárquicas. 

"Susana Garcia Candidata do PSD à Amadora: o problema não é a 'castração química' é a objetiva e reiterada tentativa de castração política do PSD por parte do 'main stream'. Não conseguiram!", escreveu o dirigente social-democrata, membro do núcleo duro de Rui Rio, numa publicação no Twitter. 

Importa recordar que, nos últimos dias, a escolha de Suzana Garcia dividiu a direção do PSD, devido às posições polémicas da agora candidata, como a defesa da castração química para pedófilos reincidentes, que tem sido defendida em Portugal pelo partido Chega.

Ainda assim, o nome da ex-comentadora da TVI, que tinha sido proposto pelas estruturas locais, acabou por ser homologado pela direção alargada, numa reunião que começou ontem à noite e terminou de madrugada.

Entretanto,  ao início da tarde desta quarta-feira, o secretário-geral do partido, José Silvano, anunciou o apoio formal do PSD à advogada. "É para nós a candidata mais indicada para ganhar a Câmara da Amadora", defendeu. 

Sobre as posições controversas de Suzana Garcia, o secretário-geral esclareceu: "Não vimos nelas algo que não pudesse ser admitido no âmbito da pluralidade de opiniões deste partido". 

Leia Também: Autárquicas: Suzana Garcia confirmada como candidata do PSD à Amadora

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Quinto ano consecutivo Escolha do Consumidor para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório